Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

FECHAR
> Geral / Geral

Publicado em: 13/08/2020 - 11:01:41

Após 56 anos juntos, Covid levou casal João e Francisca

Por Lucia Morel | 13/08/2020 09:25 - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS


No dia 13 de junho deste ano, João Ribeiro Novaes, 77 anos e Francisca Araújo Novaes, 74 anos, comemoraram 56 anos de casados. Menos de dois meses depois, praticamente juntos, se despediram de seus familiares, levados pela covid-19. Ele, em 8 de agosto e ela, em 10 do mesmo mês, em Campo Grande.


Amados e animados, a alegria do casal era juntar a família aos domingos com muita dança e churrasco. “A vida deles era a família. Não tinha lazer que não fosse com a gente. Todo fim de semana a família se reunia. O prazer deles eram os churrascos no fim de semana”, conta a neta Greice Kelly Novaes Alves Meza, 37 anos.


Mãe de gêmeos, Greice acompanhou os últimos momentos de ambos e lembra que havia muito medo de que algum deles contraísse a doença, principalmente a avó, que além de obesa, tinhas outras comorbidades, como a diabetes e teve embolia pulmonar em 2016.


Quando João foi internado, em 22 de julho, Francisca se assustou e temeu tanto pela vida do marido quanto por sua própria. Na ocasião, segundo a neta, chegou a lamentar que “meu velhinho se cuidou tanto, e mesmo assim pegou” a covid-19. João também reclamou, dizendo que “agora, quatro meses dessa pandemia que eu peguei essa desgrama?”.


Os sintomas começaram em João, e primeiro, os médicos acreditavam se tratar de uma dengue, porque o nível de plaquetas estava baixo. Mas mesmo com repouso e muita água, o quadro foi se agravando, até culminar na internação, depois de ser constatado que seu pulmão estava 75% tomado pela infecção.


Francisca começou a passar mal uma semana depois dos primeiros sintomas do marido e foi internada em 4 de agosto, duas semanas depois de João. Depois de apresentar sinais da doença, passou a ser monitorada de longe, já que até a data em que foi internada, seu pulmão não apresentava nem 25% de infecção. “Ela ficou em casa, em isolamento”, disse Greice. - CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS


No entanto, a doença avançou e depois de internada, no sábado, 8, Francisca foi entubada. Mesmo dia em que o esposo morreu. “Meu vô morreu de manhã e no fim da tarde ela foi entubada”. Dois dias depois, Francisca morreu.


Segundo a neta, não houve nem tempo de viver o luto do avô e já veio a notícia da morte da avó. “Tive que amparar minha tia e minha mãe que têm pressão alta, meu esposo também, que os considerava como avós, meus primos. Consolei todos e confesso que ontem (terça-feira) foi bem difícil, me deu aquele baque. Não consegui fazer nada”, contou.


A suspeita da família é que o casal tenha se infectado durante consulta de Francisca no IMPCG (Instituto Municipal de Previdência de Campo Grande) ou no supermercado, onde apenas João ia. “Eles quase não saiam de casa e quando íamos lá, mantínhamos o distanciamento social”, disse a neta.


Mesmo diante dessas incógnitas, a doença foi implacável com ambos, que até o fim, queriam cuidar um do outro. “Quando levei meu vô pra ser internado, ele ficou preocupado em deixar minha avó sozinha e eu prometi cuidar dela”, recorda. Da parte de Francisca, havia o mesmo cuidado, e Greice lembra que ela temia muito pela vida do marido.


Legado – Conhecida e querida na região do Coronel Antonino, Francisca trabalhou por 34 anos como enfermeira no posto de saúde do bairro. As homenagens nas redes sociais foram muitas e de acordo com Greice, só mostram como os avós eram amorosos.


“Amor, é o legado que eles deixam. Fiquei revoltada, porque em momentos como esse nem todos da família ajudam, mas aí lembrei que não foi isso que meu avô me ensinou. Ele ensinou o amor, a união da família, ensinou a acolher as pessoas”, destaca, lembrando que “a vovó era mais turrona, mas não menos amorosa”. O casal deixa duas filhas, três netos e seis bisnetos.


- CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS
1- Dançando e animados, eram assim os finais de semana de João e Francisca. (Foto: Arquivo da Família)
2- João e Francisca com parte da família. (Foto: Arquivo Pessoal)
3- Amor e carinho, no aniversário de 56 anos de casados, comemorado em 13 de junho. (Foto: Arquivo da Família)




     

Campo Grande News / Camapuã News

Opiniões

0 Comentários para "Após 56 anos juntos, Covid levou casal João e Francisca"

Deixe sua opinião

AVISO: As opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site camapuanews. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros, ficando seus autores, após identificado o IP, responsáveis civil e penalmente por seus conteúdos.
Nome
E-mail (Não divulgado)
Mensagem
     
+Leia mais notícias

  Colisão entre carretas e carros mata condutor na MS-306

  Após confusão no PSL, Soraya vai ao TRE contra Trutis

  Homem é morto a tiros em Camapuã no sábado (12)

+Notícias mais lidas da semana

Vacina BCG será testada contra coronavírus em MS
Teste será realizado em profissionais da saúde que ainda não foram infectados
‘Sertanejo ostentação’ revelou lavagem de dinheiro
Polícia Federal investiga 19 pessoas da mesma família em MS, MT e Paraguai
MS: Quatro municípios dobraram população em 20 anos
Em Camapuã houve queda populacional de 16.446 para 13.693, ou seja, 16,7%.
Familiares de casal morto a tiros prestam depoimento
A mulher foi encontrada com o short abaixado
Publicidade


2009 © Todos os direitos reservados ao Camapuã News. Este material pode
ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído, desde que citada a fonte.
Marknet®