Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

FECHAR
> Campo Grande / Coronavírus

Publicado em: 31/07/2020 - 11:07:00

Hospitais de Campo Grande estão no limite

Os hospitais da rede pública de saúde de Campo Grande já não têm mais vagas para pacientes com Covid-19. 


Nas três unidades que operam pelo Sistema Único de Saúde (SUS), as unidades de terapia intensiva (UTIs) reservadas para o novo coronavírus estão com 100% de ocupação. 


Restam apenas alguns hospitais particulares com contratos com a prefeitura.


No Hospital Regional de Mato Grosso do Sul, referência para o tratamento da Covid-19 em Campo Grande, apenas duas vagas em UTIs estavam vazias até ontem. 


Nesta semana, a ocupação na unidade chegou aos 100% dos leitos críticos (UTI e semi-intensivo).


Já na Santa Casa de Campo Grande, maior hospital da Capital, nenhuma vaga para pacientes com a doença estava disponível. 


Das 10 vagas disponibilizadas na Unidade do Trauma, 100% estavam ocupados por pacientes que estavam no Hospital Regional e tiveram de ser transferidos.


No Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian, os 10 leitos para o tratamento da doença, que foram inaugurados na segunda-feira, estão ocupados. 


O centro médico, inclusive, está com 100% de ocupação para internação em todos os setores adultos – UTI geral e leitos clínicos. A prefeitura ainda tem leitos contratualizados no Hospital Adventista do Pênfigo, El Kadri, Clínica Campo Grande e Proncor. 


De todos esses, a melhor situação é a do Proncor, que ainda tem 30% das vagas em UTIs, porém, para atendimento a pacientes com outras doenças, não há mais leitos no setor.


Já os leitos do setor no Pênfigo, inaugurados há 10 dias, também já estão ocupados. A taxa de ocupação em relação aos leitos clínicos era de 60% no fim da tarde, mas havia a possibilidade de chegar a 80% até o fim do dia, segundo a assessoria de imprensa da unidade. 


A mesma situação se encontrava no El Kadri, com todos os leitos de UTI contratualizados com a prefeitura ocupados. Do setor, sete estavam com pacientes do SUS e três provenientes de convênios. A UTI geral não tinha leitos, e a UTI cardio, que não recebe pacientes com Covid-19, tinha quatro vagas.


Segundo o titular da Secretaria de Estado de Saúde (SES), Geraldo Resende, o governo tenta conseguir mais 10 leitos para serem implantados no Hospital do Pênfigo, mas depende de equipamentos a serem conseguidos no interior. “São equipamentos que Dourados recebeu de doação e ainda não conseguiu implantar”, afirmou.


O secretário ainda diz que pretende chegar a 100 leitos críticos no Hospital Regional, entretanto, para que isso se concretize, é necessário que equipamentos que foram prometidos pelo Ministério da Saúde cheguem na Capital.


Segundo a prefeitura, a taxa de ocupação global dos leitos de UTI na cidade estava ontem em 86%, mas apenas 39 leitos para pacientes graves estavam disponíveis no início da tarde.


Para o médico infectologista e pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Julio Croda, é possível que na próxima semana já faltem leitos de UTI em Campo Grande, já que ainda há muitos casos sendo confirmados diariamente e o isolamento social não tem passado de 37% durante a semana.


“O cenário da Capital é muito preocupante, principalmente no que diz respeito aos leitos de terapia intensiva. Diversas cidades no Brasil e fora colapsaram seu sistema de saúde. Então, o gestor tem de entender que a curva de contágio dessa forma como está acelerada, o poder público não tem capacidade de acompanhar essa curva na oferta de leitos, e isso não é um fenômeno local, é um fenômeno mundial. Campo Grande deve adotar o lockdown, senão, na minha opinião técnica, já na semana que vem nós veremos pacientes morrendo por falta de leitos”, afirma. 


Ocupação de leitos nos hospitais


Hospital Regional
Leitos clínicos: 72,5%
UTI Covid-19: 97,2%


Santa Casa
Leitos clínicos geral: 85%
Leitos clínicos Covid-19: 56%
UTI Covid-19: 100%
UTI geral: 95%


Hospital Universitário
Leitos clínicos: 100%
UTI Covid-19: 100%
UTI geral: 100%


Hospital do Câncer
Leitos clínicos: 54,5%
UTI geral: 98%


Hospital do Pênfigo
Leitos clínicos: 60%
UTI Covid-19: 100%
UTI geral: 90%


Hospital El Kadri
Leitos clínicos: 25%
UTI Covid-19: 100%
UTI geral: 100%
UTI cardio: 60%


Clínica Campo Grande
Leitos clínicos: 50%
UTI Covid-19: 90%
UTI geral: não informado


Proncor
Leitos clínicos: 81%
UTI Covid-19: 70%
UTI geral: 100%


Hospital da Cassems
Leitos clínicos Covid-19: 70%
UTI Covid-19: 92%
UTI geral: 88%


Hospital Unimed
Leitos clínicos geral: 75%
Leitos clínicos Covid-19: 71%
UTI Covid-19: 86,6%
UTI geral: 83%


Ambulâncias do Samu têm movimento intenso - Foto: Valdenir Rezende / Correio do Estado



 

Correio do Estado / Camapuã News

Opiniões

0 Comentários para "Hospitais de Campo Grande estão no limite"

Deixe sua opinião

AVISO: As opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site camapuanews. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros, ficando seus autores, após identificado o IP, responsáveis civil e penalmente por seus conteúdos.
Nome
E-mail (Não divulgado)
Mensagem
     
+Leia mais notícias

  Motoentregador é assassinado por colega na Capital

  Servidor da Sefaz desviava mercadorias na distribuição

  Ildo Furtado é pré-candidato a Prefeito de Figueirão

+Notícias mais lidas da semana

China diz que detectou coronavírus em frango brasileiro
Importações estão mantidas; Autoridades pedem cuidados no preparo dos alimentos.
Em passeio de moto, jovem sofre acidente e morre
Ele esta com amigos. Foi na MS-080, próximo a Corguinho.
Motociclista morre sofrer acidente na Cônsul Assaf Trad
Foram quatro mortes de motociclistas neste final de semana na Capital
Cantor sertanejo e mais 3 morrem em acidente de carro
Foi na MT-251, estrada que liga Cuiabá a Chapada dos Guimarães
Publicidade


2009 © Todos os direitos reservados ao Camapuã News. Este material pode
ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído, desde que citada a fonte.
Marknet®