Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

FECHAR
> Poltica / Presidente

Publicado em: 28/05/2020 - 10:52:27

Heleno diz que não se referiu à intervenção militar

Ministro divulgou nota na semana passada afirmando que apreensão do aparelho seria 'inconcebível' e teria 'consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional.


Por Guilherme Mazui, G1 — Brasília


O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, afirmou nesta quinta-feira (28) que a nota divulgada por ele na semana passada, sobre eventual apreensão do celular do presidente Jair Bolsonaro, foi distorcida.


Na nota, Heleno disse que a apreensão do aparelho seria “inconcebível” e teria “consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional”. A manifestação provocou críticas e reações de diversas entidades.


A maniestação de Heleno, na semana passada, foi feita após o ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), encaminhar para análise da Procuradoria Geral da República (PGR) pedidos de parlamentares e partidos políticos. Entre as demandas, está a apreensão do celular de Bolsonaro.


Cabe à PGR decidir se pedirá a apreensão. É praxe que ministros do STF enviem esse tipo de ação para manifestação da procuradoria. Celso de Mello é relator do inquérito que investiga denúncias de que Bolsonaro interferiu politicamente na PF.


Nesta quinta-feira, na portaria do Palácio da Alvorda, Heleno argumentou que na nota não se referiu a Celso de Mello nem falou de intervenção militar.


"Não disse nome, não citei o nome do ministro Celso de Mello, não citei o nome do procurador-geral. Fiz uma nota absolutamente genérica. Houve uma distorção", disse o ministro.


"Não falei em Forças Armadas, não falei em intervenção militar. Teve gente que disse que aquilo ali é o preâmbulo de uma intervenção militar, que agora virou moda. Isso é um absurdo, ninguém está pensando nisso, ninguém conversa sobre isso, ninguém pensa nisso", completou.


O ministro foi questionado sobre reiteradas manifestações defendendo a intervenção realizadas, inclusive, em atos com a presença de Bolsonaro. Heleno disse serem manifestações isoladas.


“Se essa geração vier achando que intervenção militar resolve alguma coisa, vamos formar uma geração completamente deturpada. Intervenção militar não resolve nada. E ninguém está pensando nisso", afirmou.


O ministro minimizou ainda a disseminaçao de fake news, alegando ser muito difícil caracterizá-las. E acusou os jornais de também publicar informações falsas, sem apontar quais.


Nesta quarta-feira (27) a Polícia Federal (PF) cumpriu mandados judiciais do ministro Alexandre de Moraes, do STF, como parte das investigações sobre a disseminação de fake news.


Entre os alvos da operação estão aliados do presidente, como o ex-deputado federal Roberto Jefferson; o empresário Luciano Hang, dono da Havan; e os blogueiros Allan dos Santos e Winston Lima. Alem disso, Moraes determinou que 6 deputados federais e 2 estaduais – todos do PSL, partido pelo qual Bolsonaro se elegeu – sejam ouvidos no inquérito.


Íntegra da nota divulgada pelo ministro em 22 de maio:


NOTA À NAÇÃO BRASILEIRA


O pedido de apreensão do celular do Presidente da República é inconcebível e, até certo ponto, inacreditável.


Caso se efetivasse, seria uma afronta à autoridade máxima do Poder Executivo e uma interferência inadmissível de outro Poder, na privacidade do Presidente da República e na segurança institucional do país.


O Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República alerta as autoridades constituídas que tal atitude é uma evidente tentativa de comprometer a harmonia entre os poderes e poderá ter consequências imprevisíveis para a estabilidade nacional.


Augusto Heleno Ribeiro Pereira




 

Por Guilherme Mazui, G1 — Brasília / Camapuã News

Opiniões

0 Comentários para "Heleno diz que não se referiu à intervenção militar"

Deixe sua opinião

AVISO: As opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site camapuanews. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros, ficando seus autores, após identificado o IP, responsáveis civil e penalmente por seus conteúdos.
Nome
E-mail (Não divulgado)
Mensagem
     
+Leia mais notícias

  Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 33 milhões na quarta

  Investigação: Quem matou Carla quis dar 'recado'

  Secretário deAgricultura é morto a facadas em barbearia

+Notícias mais lidas da semana

'Dia triste', diz secretário diante de 16 mortes em 24h
91 pacientes estão internados em leitos de UTI
Energia mais cara incentiva uso da energia solar
No MS, foram aplicados mais de R$ 100 milhões do FCO em placas solares neste ano
OLX cria verificação com foto de documento em MS
Medida veio após enxurrada de golpes nas negociações.
Alta velocidade e neblina provocam capotamento de Hilux
Foi na BR-262 sentido Ribas do Rio Pardo. Três se feriram.
Publicidade


2009 © Todos os direitos reservados ao Camapuã News. Este material pode
ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído, desde que citada a fonte.
Marknet®