Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

FECHAR
> Brasil / Governo Federal

Publicado em: 29/04/2020 - 16:55:10

Por apoio, Bolsonaro negocia cargos com o 'Centrão'

Governo quer garantir base de apoio no Congresso contra eventual processo de impeachment baseado no inquérito aberto no STF para apurar falar de Moro sobre interferência na PF.


Por Andréia Sadi


Antes mesmo da saída de Sergio Moro do governo, o presidente Bolsonaro já havia liberado assessores para negociarem com os partidos do chamado centrão. O objetivo era buscar apoio no Congresso para votar medidas de interesse do governo na agenda pós-pandemia.


Agora, a negociação ganhou outros contornos: o Planalto quer garantir uma base de apoio no Congresso contra um eventual processo de impeachment baseado no inquérito aberto no Supremo Tribunal Federal (STF) para apurar declarações de Moro.


O governo se prepara juridicamente desde o final de semana para o desdobramento do inquérito no STF que vai apurar a acusação de Moro de interferência política de Bolsonaro na Polícia Federal. O Planalto aguarda “mais munição” por parte de Moro, inclusive na CPI da FakeNews, caso ele seja chamado para falar.


Por isso, para controlar o desgaste político no Congresso, com processos contra Bolsonaro, o governo precisa de apoio.


Um general avaliou ao blog temer que, se a situação se agravar, o governo Bolsonaro viva a mesma situação de Michel Temer após a denúncia de Joesley Batista: sobreviva politicamente mas com o governo inviabilizado em matérias econômicas e relevantes para o país. Mas, para sobreviver politicamente, Bolsonaro precisa de apoio. Por isso isso a necessidade de negociar com o centrão.


Os partidos do centrão, maior bloco da Câmara, têm conversado há semanas com articuladores políticos do governo.


Cargos de 2º e 3º escalão e ministérios


Os interlocutores do presidente já prometeram cargos de segundo e terceiro escalão, mas ainda não entregaram. Com a saída de Moro, esses dirigentes partidários pressionam agora também por ministérios. Para isso, o presidente precisará desalojar atuais ministros, além de comprar briga com sua base de apoiadores eleitoral. Motivo: o presidente se elegeu com discurso de que não faria o “toma lá, dá cá”, que é a troca de cargos por apoio.


Mas é exatamente isso que está sendo negociado pelo Planalto com o centrão - inclusive, com o objetivo de esvaziar o poder de Rodrigo Maia, presidente da Câmara, que é visto como adversário pelo Planalto e tem como sustentação o apoio desses partidos.


Entre os ministérios cobiçados pelo centrão, estão a pasta da Agricultura (hoje com Tereza Cristina) e Ciência e Tecnologia (Marcos Pontes).


Também cobram o segundo e o terceiro escalão do ministério da Saúde. Quando ministro, Mandetta chegou a alertar nos bastidores aliados de Moro a respeito dessa movimentação dos partidos do centrão.


Moro, então ministro, avaliava que essa negociação era incompatível com sua biografia.


Regina Duarte


O Planalto também identificou nos últimos dias um novo alvo da ala ideológica nas redes sociais: a secretária de Cultura, Regina Duarte.


A ala política do governo tenta afastar as especulações de que ela deixará o governo, mas se frustrou com as manifestações do presidente nesta terça-feira. Ao ser questionado sobre a permanência de Regina no governo, Bolsonaro disse que só presidente e vice não podem ser trocados.


Foto: Divulgação/G1




 

G1 / Camapuã News

Opiniões

0 Comentários para "Por apoio, Bolsonaro negocia cargos com o 'Centrão'"

Deixe sua opinião

AVISO: As opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site camapuanews. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros, ficando seus autores, após identificado o IP, responsáveis civil e penalmente por seus conteúdos.
Nome
E-mail (Não divulgado)
Mensagem
     
+Leia mais notícias

  PRF desmonta ponto de veículos roubados e clonados emMS

  PM ex-segurança de Reinaldo tem R$ 1 milhão bloqueado

  Brasil tem 58.927 mortes por coronavírus confirmadas

+Notícias mais lidas da semana

Carro capota na MS-436, na região de Camapuã
O HB20 tem placa de Costa Rica e duas pessoas ficaram feridas.
OLX cria verificação com foto de documento em MS
Medida veio após enxurrada de golpes nas negociações.
Leia: O historiador que previu uma grave crise em 2020
Adverte ainda sobre período perigoso da História
Alta velocidade e neblina provocam capotamento de Hilux
Foi na BR-262 sentido Ribas do Rio Pardo. Três se feriram.
Publicidade


2009 © Todos os direitos reservados ao Camapuã News. Este material pode
ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído, desde que citada a fonte.
Marknet®