Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

FECHAR
> Geral / Geral

Publicado em: 08/11/2019 - 05:49:13

Concessão será suspensa para nova licitação da BR-163
CCR MS Via assumiu a BR-163 em 2013. (Foto: Arquivo)CCR MS Via assumiu a BR-163 em 2013. (Foto: Arquivo)


Alvo de críticas de prefeitos, insatisfeitos com a não realização das obras de duplicação da pista, e da empresa que administra a via, que aponta prejuízo financeiro com um movimento de tráfego bem abaixo das previsões originais, a concessão da BR-163 será suspensa e uma nova licitação será realizada. A informação partiu do ministro Tarcísio Gomes de Freitas (Infraestrutura) em reunião nesta quinta-feira (9) com o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e representantes da bancada federal no Estado.




A expectativa é de que, em até dois anos, uma nova concessionária assuma a administração da principal rodovia federal do Estado, que atravessa o território de norte a sul ao longo de mais de 840 km –de Mundo Novo, na divisa com o Paraná, até Sonora, até chegar ao Mato Grosso.


“Fomos informados na reunião de hoje com o ministro Tarcísio, da qual participaram o governador Reinaldo e os deputados federais Beto Pereira (PSDB) e Fábio Trad (PSD) que a BR-163, que corta Mato Grosso do Sul, será relicitada”, destacou o coordenador da bancada federal, senador Nelsinho Trad (PSD). A medida, segundo ele, foi tomada “em função dos atrapalhos que tiveram na modelagem da contratação com a CCR MS Via e de não se achar alterantiva legal para que se pudesse encontrar outra forma de contratação”.


Conforme o senador, em dois anos “uma nova concessionária deve estar atuando no Estado, segundo o que nos passou o ministro”.


Um decreto prevendo a licitação já foi expedido e, ainda em novembro, Freitas afirma que será expedida resolução prevendo a metodologia de “acerto de contas” com a CCR: a intenção é verificar as obrigações de indenização pela ruptura do contrato e observar as obras que deixaram de ser feitas pela concessionária a fim de se fechar um acordo. Desta forma, a rodovia terá a concessão relicitada para uma nova empresa.


Debate – O tema entrou em pauta diante de questionamentos apresentados pelo governador, repercutindo questionamentos e a classe política estadual apresentou em 28 de outubro, durante audiência na Assembleia Legislativa que tratou da demora no andamento das obras de duplicação da BR-163 e do seu impacto nas áreas urbanas de 21 municípios atravessados pelo trecho da rodovia sob concessão desde 2013.


O contrato original previa que, até este ano, mais de 340 quilômetros da BR-163 tivessem sido duplicados. As obras, porém, atingiram 150 quilômetros –menos de 50% do total pactuado e representando apenas 18% de toda a extensão da rodovia federal. A ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) não enviou representantes à reunião, levando à proposta de que fosse criada uma comissão para tratar do tema diretamente em Brasília, incluindo a suspensão da concessão.


Na audiência, a CCR MS Via justificou o descumprimento da obrigação com a crise econômica e, também, com a baixa demanda de veículos a transitarem pela via. Em 2013, quando assumiu a concessão, a empresa previa um fluxo de 9 mil automóveis diariamente. Hoje, porém, ele é de 5 mil, ou pouco mais da metade.


Outro impasse envolveu o financiamento da obra, que teria 70% dos recursos liberados pelo BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), o que não aconteceu. A CCR MS Via afirma, ainda, operar em desequilíbrio financeiro: as receitas anuais, de R$ 1,2 bilhão, representam quase um terço das despesas, de R$ 3,2 bilhões. A concessionária defendeu a renegociação do contrato ou uma nova licitação sob outras bases.


A falta de atendimento gerou outro impasse, já judicializado: a ANTT tenta aplicar sobre a concessão o chamado Fator D, que calcula os reajustes de tarifas ao desempenho no cumprimento do que foi contratado. Com isso, pode haver uma redução superior a 50% no valor das tarifas, que hoje variam de R$ 5,10 a R$ 7,80 para veículos de passeio ou comerciais.


Desde 2017, a empresa tenta rediscutir as bases da concessão e, sem aval da agência reguladora, procurou a Justiça pedindo a suspensão das obrigações de investimento ou de punições até que, ao final do processo, a ANTT seja condenada a revisão o contrato. Naquele anos, as obras chegaram a ser paralisadas em abril, sendo retomadas em setembro. A redução dos pedágios, conforme a concessionária, não ocorreu porque não houve cobrança nesse sentido.


CCR MS Via assumiu a BR-163 em 2013. (Foto: Arquivo/Campo Grande News)





 

Campo Grande News / Camapuã News

Opiniões

0 Comentários para "Concessão será suspensa para nova licitação da BR-163"

Deixe sua opinião

AVISO: As opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site camapuanews. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros, ficando seus autores, após identificado o IP, responsáveis civil e penalmente por seus conteúdos.
Nome
E-mail (Não divulgado)
Mensagem
     
+Leia mais notícias

  PMA autua exibicionista com peixe dourado em R$ 2,9 mil

Coaf: Toffoli revoga decisão sobre acesso a relatórios

  Homem bate no meio-fio, é arremessado em rio e morre

+Notícias mais lidas da semana

Em 40 anos, MS só teve oito deputadas estaduais
Em 2019, Assembleia Legislativa comemora elaboração da 1ª Constituição do Estado
Fronteira com a Bolívia permanece fechada há 19 dias
Comando da Polícia Boliviana também anunciou apoio à mobilização
Inscrições para vestibular da UFMS terminam no domingo
Provas devem ser aplicadas no dia 1º de dezembro em 11 cidades
GNV continua com alta procura em postos de combustíveis
Economia pode chegar a 50%, apesar da oferta restrita a poucos postos da Capital
Publicidade


2009 © Todos os direitos reservados ao Camapuã News. Este material pode
ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído, desde que citada a fonte.
Marknet®