Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

FECHAR
> Porto Murtinho / Assassinato

Publicado em: 05/11/2019 - 09:09:27

Servidora foi dopada e morta com golpes de ferro
Servidora pública Nathália Alves Corrêa Baptista. (Foto: Reprodução/Facebook)Servidora pública Nathália Alves Corrêa Baptista. (Foto: Reprodução/Facebook)


A servidora pública Nathália Alves Corrêa Baptista, de 27 anos, teria sido dopada antes de ser assassinada com golpes de barra de ferro na cabeça, por José Romero e Regiane Marcondes Machado em Porto Murtinho – a 431 mil de Campo Grande. A constatação é do Ministério Público de Mato Grosso do Sul que ofereceu a denúncia do crime à justiça.



José Romero e Regiane Marcondes são acusados dos crimes de destruição do cadáver e o homicídio qualificado da vítima. Conforme a denúncia, na noite do crime em 15 de julho deste ano, José Romero e Regiane atraíram Nathália até a pousada administrada por Rogério e em seguida a doparam. 


Desacordada, a vítima foi golpeada com uma barra de ferro na cabeça pelo homem, como “prova de amor” a Regiane. Em seguida o casal queimou o corpo de Nathália, o colchão onde ocorreu o crime e os pertences da vítima e jogou os restos mortais no Rio Paraguai.


Na tentativa de apagar os vestígios do assassinato, José Romero ainda teria lavado o local onde matou a mulher e passado uma substância corrosiva no piso, além de ter pintado as paredes e mandado cimentar o lugar em que o corpo da vítima foi queimado.


Com base nas apurações, o Ministério Público Estadual denunciou os suspeitos pela prática dos crimes de homicídio qualificado, que prevê pena de 12 a 30 anos de prisão e multa, e de destruição de cadáver, com pena de 1 a 3 anos de prisão e multa.


Crime brutal


Nathália foi vista pela última vez em 15 de julho, ao deixar a casa de uma amiga. Em 19 de agosto, Romero foi preso ao se apresentar à DEH (Delegacia Especializada de Homicídios), tornando-se suspeito diante do fato de ter sido a última pessoa a falar com a servidora por telefone.


Em 23 de agosto, Regiane foi presa e confessou parte do crime –negando o assassinato, mas admitindo ajudar no transporte e destruição do corpo– e deu detalhes sobre o sumiço do cadáver, que teria sido incinerado por horas.


Testemunhas haviam informado que Regiane teria flagrado Romero com Nathália e enviado a esta mensagens mandando que se afastassem. Em seus depoimentos, o homem negou o crime, atribuindo-o à amante.


Servidora pública Nathália Alves Corrêa Baptista. (Foto: Reprodução/Facebook)




 

Campo Grande News / Camapuã News

Opiniões

0 Comentários para "Servidora foi dopada e morta com golpes de ferro"

Deixe sua opinião

AVISO: As opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site camapuanews. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros, ficando seus autores, após identificado o IP, responsáveis civil e penalmente por seus conteúdos.
Nome
E-mail (Não divulgado)
Mensagem
     
+Leia mais notícias

  PMA autua exibicionista com peixe dourado em R$ 2,9 mil

Coaf: Toffoli revoga decisão sobre acesso a relatórios

  Homem bate no meio-fio, é arremessado em rio e morre

+Notícias mais lidas da semana

Em 40 anos, MS só teve oito deputadas estaduais
Em 2019, Assembleia Legislativa comemora elaboração da 1ª Constituição do Estado
Fronteira com a Bolívia permanece fechada há 19 dias
Comando da Polícia Boliviana também anunciou apoio à mobilização
Inscrições para vestibular da UFMS terminam no domingo
Provas devem ser aplicadas no dia 1º de dezembro em 11 cidades
GNV continua com alta procura em postos de combustíveis
Economia pode chegar a 50%, apesar da oferta restrita a poucos postos da Capital
Publicidade


2009 © Todos os direitos reservados ao Camapuã News. Este material pode
ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído, desde que citada a fonte.
Marknet®