Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

FECHAR
> Rio Verde de MT / Geral

Publicado em: 19/10/2019 - 10:33:36

Remédio superfaturado gera prejuízo em cidade de MS

Licitações para a compra de medicamentos e materiais hospitalares no interior de MS resultaram em um prejuízo aos cofres públicos no valor de R$ 42,7 mil. Relatório da CGU (Controladoria-Geral da União) identificou sobrepreço em compra dos insumos em licitações feitas entre 2010 e 2011 pela Prefeitura de Rio Verde de Mato Grosso, a 194 km de Campo Grande.


A CGU divulgou um relatório feito após investigação sobre atos irregulares referentes a três licitações feitas para a compra de insumos para a atenção básica de saúde e para o hospital do município. A Controladoria identificou fraudes decorrentes de conluio e manipulação de documentos com a participação das empresas licitantes, mediante o conhecimento de informações relacionadas às fases internas das licitações, acesso que deveria ser restrito aos agentes públicos.


A CGU identificou o inter-relacionamento entre as empresas envolvidas em licitações. “[Empresas] fazendo parte do mesmo grupo empresarial, com ex-empregados constituindo empresas que “tornam-se” concorrentes, empresas em que a sociedade é repassada a pessoa com vínculo familiar, empresas com mesmo endereço, etc, ou seja, um conjunto de relacionamentos e evidências que denotam a formação de dois grupos empresariais”, aponta relatório.


Conforme a investigação da Controladoria, em uma licitação da modalidade ‘convite’, foram convidadas empresas pertencentes a um mesmo grupo empresarial. Como as empresas consultadas para formular o orçamento eram as mesmas convidadas para a licitação, elas já tinham um conhecimento prévio sobre os valores orçados. Assim, empresas poderiam combinar os valores na cotação dos preços dos insumos e também nas propostas.


Superfaturamento


A CGU identificou o superfaturamento na licitação, já que os produtos foram comprados por valores muito acima do mercado. Durante a pesquisa, verificou-se que apenas um item estava com o preço compatível com o mercado. Os outros medicamentos foram comprados por um preço mais caro, resultando em superfaturamento.


Um exemplo é a Insulina-Novolin R Penfil, que foi comprada por R$ 4 mil, sendo que o preço de mercado na época era de R$ 550. Insulina-Novolin N Penfil recebeu uma proposta vencedora de R$ 3,6 mil, sendo que o preço de mercado era de R$ 495.


Já em um outro processo, pregão presencial que tinha como objetivo contratar empresa para compra de material médico hospitalar, também houve sobrepreço. Neste caso, o preço de compra foi 68% maior do que o valor oferecido pelo mercado.


O fornecimento do produto ‘Luvas para Procedimento M com 100 unidades’, por exemplo, foi contratado por R$ 28,7 mil, sendo que o valor de mercado era de R$ 17 mil.


Com base na pesquisa dos valores contratados pela Prefeitura, a CGU concluiu que a aplicação de recursos federais não foi adequada. Do montante fiscalizado de R$ 487.278,18, foi identificado prejuízo potencial de R$ 42.747,78.


Foto Ilustrativa/Governo Federal




 

Midiamax / Camapuã News

Opiniões

0 Comentários para "Remédio superfaturado gera prejuízo em cidade de MS"

Deixe sua opinião

AVISO: As opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site camapuanews. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros, ficando seus autores, após identificado o IP, responsáveis civil e penalmente por seus conteúdos.
Nome
E-mail (Não divulgado)
Mensagem
     
+Leia mais notícias

  Brasil reage,vira contra França e pega México no Sub-17

Polícia encontra dois corpos em carro incendiado

  Juiz reafirma transferências a presídio federal

+Notícias mais lidas da semana

Ferido na perna, motorista é achado morto em canavial
A suspeita inicial da polícia é de morte acidental, mas não se sabe ele feriu-se
Lula é solto, beija namorada e ataca a Justiça
Ex-presidente foi colocado em liberdade depois de decisão de ontem do STF
Após 13 dias, queimadas são controladas no Pantanal
ONG pediu ao MPF que investigue as causas dos incêndios na região
Poesias viram músicas e 'Amigos Cantam Guimarães Rocha'
Evento acontece às 20h, no Clube dos Oficiais PMMS, 42 canções foram emolduradas
Publicidade


2009 © Todos os direitos reservados ao Camapuã News. Este material pode
ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído, desde que citada a fonte.
Marknet®