Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

FECHAR
> Paranaíba / Assassinato

Publicado em: 17/10/2019 - 19:10:48

Advogado alega que PM alega que ele sofre alucinações


Regianni foi morta enquanto descansava no sofá da casa dos sogros (Foto: Reprodução)Regianni foi morta enquanto descansava no sofá da casa dos sogros (Foto: Reprodução)


O policial militar ambiental Lúcio Roberto Queiroz da Silva, 36 anos, que matou a esposa Regianni Araújo depois de assassinar o corretor de imóveis Fernando Enrique Freitas, está tendo alucinações e dificuldade para dormir na prisão. Ele passará por exame psiquiátrico nesta quinta-feira (17).





As informações são do advogado José Roberto Rodrigues da Rosa, que defende do policial. Ele afirma que o médico psiquiatra foi contratado pela família do PM.


Rosa explicou ainda que dependendo do laudo dado pelo especialista traçará sua linha de defesa e há a possibilidade de alegar inimputabilidade por doença mental.


O crime – Em depoimento, Lúcio Roberto Queiroz da Silva já havia dito que não se lembra do momento que atirou em Fernando e depois na mulher.


Segundo a delegada Eva Maira Cogo da Silva, titular da Dam (Delegacia de Atendimento à Mulher) de Paranaíba, o policial contou que estava na casa dos pais com Regianni e o filho de 8 anos, quando recebeu prints das mensagens trocadas entre esposa e o corretor. Foi a mulher de Fernando quem delatou o suposto caso ao policial, conforme a investigação.


O duplo homicídio aconteceu num sábado, dia 5 de outubro, à tarde. Lúcio pegou o carro e foi a casa onde Fernando estava para “conversar”, segundo disse à polícia. “Ele disse que Fernando foi para cima dele e daí por diante não se lembra de mais nada”, completou a delegada.


O corretor tentou fugir correndo para um dos quartos da residência, mas foi atingido por vários tiros e caiu entre a cama e o guarda-roupa. O policial alega ainda que não se recorda como fez o caminho de volta para a casa dos pais dele, onde cometeu o segundo assassinato disparando em Regianni.


O teor das mensagens trocadas por Regianni e Fernando não foi divulgado, mas segundo a polícia, o conteúdo dá a entender que havia um relacionamento extraconjugal entre os dois. Segundo relatos de testemunhas à polícia, Lúcio também teve vários relacionamentos fora do casamento, situação que era de conhecimento de todos.


A vítima era casada há mais de 10 anos com o policial e recentemente havia tentado se separar, mas ele não aceitava.


Regianni foi morta enquanto descansava no sofá da casa dos sogros (Foto: Reprodução)




 

Campo Grande News / Camapuã News

Opiniões

0 Comentários para "Advogado alega que PM alega que ele sofre alucinações"

Deixe sua opinião

AVISO: As opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site camapuanews. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros, ficando seus autores, após identificado o IP, responsáveis civil e penalmente por seus conteúdos.
Nome
E-mail (Não divulgado)
Mensagem
     
+Leia mais notícias

  Pneu fura, carro roda na pista e bate em 2 veículos

TSE autoriza convenções partidárias virtuais

  Militar envolvido em acidente com vítima diz que bebeu

+Notícias mais lidas da semana

Homem fez selfie dirigindo carro roubado a 190Km/h
Roubo foi em Chapadão do Sul. Vítima mantida refém por 16h às margens da BR-060
Corguinho e Aparecida do Taboado tem casos coronavírus
65 das cidades de Mato Grosso do Sul já contam com casos positivos da doença
Mulher bêbada e sem CNH oferece R$ 500 a PMs e é presa
Foi após atropelar entregador. O motociclista foi socorrido pelo Samu.
Operação apura fraude na compra de máscaras para a PRF
Mandados foram cumpridos pela Polícia Federal nesta quinta-feira (4)
Publicidade


2009 © Todos os direitos reservados ao Camapuã News. Este material pode
ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído, desde que citada a fonte.
Marknet®