Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

FECHAR
> Paranaíba / Assassinato

Publicado em: 17/10/2019 - 19:10:48

Advogado alega que PM alega que ele sofre alucinações


Regianni foi morta enquanto descansava no sofá da casa dos sogros (Foto: Reprodução)Regianni foi morta enquanto descansava no sofá da casa dos sogros (Foto: Reprodução)


O policial militar ambiental Lúcio Roberto Queiroz da Silva, 36 anos, que matou a esposa Regianni Araújo depois de assassinar o corretor de imóveis Fernando Enrique Freitas, está tendo alucinações e dificuldade para dormir na prisão. Ele passará por exame psiquiátrico nesta quinta-feira (17).





As informações são do advogado José Roberto Rodrigues da Rosa, que defende do policial. Ele afirma que o médico psiquiatra foi contratado pela família do PM.


Rosa explicou ainda que dependendo do laudo dado pelo especialista traçará sua linha de defesa e há a possibilidade de alegar inimputabilidade por doença mental.


O crime – Em depoimento, Lúcio Roberto Queiroz da Silva já havia dito que não se lembra do momento que atirou em Fernando e depois na mulher.


Segundo a delegada Eva Maira Cogo da Silva, titular da Dam (Delegacia de Atendimento à Mulher) de Paranaíba, o policial contou que estava na casa dos pais com Regianni e o filho de 8 anos, quando recebeu prints das mensagens trocadas entre esposa e o corretor. Foi a mulher de Fernando quem delatou o suposto caso ao policial, conforme a investigação.


O duplo homicídio aconteceu num sábado, dia 5 de outubro, à tarde. Lúcio pegou o carro e foi a casa onde Fernando estava para “conversar”, segundo disse à polícia. “Ele disse que Fernando foi para cima dele e daí por diante não se lembra de mais nada”, completou a delegada.


O corretor tentou fugir correndo para um dos quartos da residência, mas foi atingido por vários tiros e caiu entre a cama e o guarda-roupa. O policial alega ainda que não se recorda como fez o caminho de volta para a casa dos pais dele, onde cometeu o segundo assassinato disparando em Regianni.


O teor das mensagens trocadas por Regianni e Fernando não foi divulgado, mas segundo a polícia, o conteúdo dá a entender que havia um relacionamento extraconjugal entre os dois. Segundo relatos de testemunhas à polícia, Lúcio também teve vários relacionamentos fora do casamento, situação que era de conhecimento de todos.


A vítima era casada há mais de 10 anos com o policial e recentemente havia tentado se separar, mas ele não aceitava.


Regianni foi morta enquanto descansava no sofá da casa dos sogros (Foto: Reprodução)




 

Campo Grande News / Camapuã News

Opiniões

0 Comentários para "Advogado alega que PM alega que ele sofre alucinações"

Deixe sua opinião

AVISO: As opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site camapuanews. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros, ficando seus autores, após identificado o IP, responsáveis civil e penalmente por seus conteúdos.
Nome
E-mail (Não divulgado)
Mensagem
     
+Leia mais notícias

  Brasil reage,vira contra França e pega México no Sub-17

Polícia encontra dois corpos em carro incendiado

  Juiz reafirma transferências a presídio federal

+Notícias mais lidas da semana

Ferido na perna, motorista é achado morto em canavial
A suspeita inicial da polícia é de morte acidental, mas não se sabe ele feriu-se
Lula é solto, beija namorada e ataca a Justiça
Ex-presidente foi colocado em liberdade depois de decisão de ontem do STF
Após 13 dias, queimadas são controladas no Pantanal
ONG pediu ao MPF que investigue as causas dos incêndios na região
Poesias viram músicas e 'Amigos Cantam Guimarães Rocha'
Evento acontece às 20h, no Clube dos Oficiais PMMS, 42 canções foram emolduradas
Publicidade


2009 © Todos os direitos reservados ao Camapuã News. Este material pode
ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído, desde que citada a fonte.
Marknet®