Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

FECHAR
> Mato Grosso do Sul / Detran/MS

Publicado em: 14/05/2019 - 07:18:03

MPMS quer suspender contratos de vistorias no Detran-MS

O MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul) pediu a suspensão de contratos das empresas Focar Vistoria Veicular Eireli e Contato Vistoria, que prestam serviço de vistoria veicular ao Detran-MS. A recomendação foi dada pelo promotor Humberto Lapa Ferri, da 31ª Promotoria de Justiça de Campo Grande em base na Operação Vistoria. Suspeitas de lavagem de dinheiro e uso de laranjas vieram a público com reportagens do Midiamax.


“Foram angariados elementos de convicção incontestáveis de esquema criminoso visando ludibriar o poder público, mediante a utilização de terceiros no quadro societário de Empresas Credenciadas de Vistoria (ECVs), quando, de fato, os reais proprietários são pessoas impedidas de exercer referida atividade empresarial, em típico esquema de utilização de “laranjas”, omitindo a realidade fática empresarial em documentos públicos e privados a fim de obter credenciamento junto ao órgão de trânsito Estadual – DETRAN/MS – bem como operacionalizar a lavagem de capitais”, consta no pedido.


Segundo o promotor, a empresa Focar Vistoria pertence, de fato, a Nelson Gonçalves Lemes, que já exerceu cargo de Diretor da Diretoria de Registro e Controle de Veículos do Detran/MS.


Ainda de acordo com a denúncia, a empresa Contato Vistoria Automotiva é de propriedade, de fato, do garagista Geraldo de Souza, porém, por estar impedido pela norma do órgão de trânsito de figurar no pólo societário da empresa de vistoria, colocou “laranjas” no quadro societário da referida empresa.


O Ministério Público pede a imediata suspensão cautelar, pelo prazo de até 90 dias, das duas empresas da atividade de vistoria de identificação veicular e solicita imediata instauração de processo administrativo e demais medidas pertinentes para a cassação da habilitação das empresas.


Operação Vistoria


No último dia 10 de abril, o Ministério Público, por meio das Promotorias de Justiça de Defesa do Patrimônio Público e Social de Campo Grande e do GECOC (Grupo Especial de Combate à Corrupção), deflagrou a operação “Vistoria” com o objetivo de cumprir de cinco mandados de busca e apreensão na Capital.


Foram apreendidos documentos, papéis, agendas, registros contábeis, anotações, comprovantes de movimentações bancárias, computadores, além de celulares.


A operação é oriunda de Procedimento Investigatório Criminal que tramita perante a 31ª Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público da Capital e apura a ocorrência dos crimes de lavagem de capitais, falsidade ideológica e delitos correlatos em um suposto esquema criminoso que utiliza terceiros como “laranjas” no quadro societário de Empresas Credenciadas de Vistoria (ECVs), com a finalidade de obter o credenciamento fraudulento destas empresas junto ao órgão de trânsito estadual – Detran/MS.




Foto: Arquivo/Midiamax




 

Midiamax / Camapuã News

Opiniões

0 Comentários para "MPMS quer suspender contratos de vistorias no Detran-MS"

Deixe sua opinião

AVISO: As opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site camapuanews. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros, ficando seus autores, após identificado o IP, responsáveis civil e penalmente por seus conteúdos.
Nome
E-mail (Não divulgado)
Mensagem
     
+Leia mais notícias

  Serviços do INSS serão acessados só por internet

  Farmácia é autuada por diferença nos preços

  Número de homicídios cai, mas de feminicídios aumentam

+Notícias mais lidas da semana

Camapuã: Câmara analisa afastamento do prefeito e vice
A base é recebimento pelo juiz da denúncia do MP por improbidade administrativa
Câmara de Camapuã entrega Título de ‘Mulher Inspiradora
Evento homenageou nove mulheres da cidade e teve palestra motivadora.
Médico genecologista e mulher morrem em acidente aéreo
Foi na Capital. Eles estavam na aeronave que caiu no aeroporto Santa Maria
Capivara vira caso de polícia em bar de Coxim
O proprietário do estabelecimento, de 55 anos, foi quem fez o acionamento.
Publicidade


2009 © Todos os direitos reservados ao Camapuã News. Este material pode
ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído, desde que citada a fonte.
Marknet®