Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

FECHAR
> América do Sul / Venezuela

Publicado em: 11/05/2019 - 23:11:37

Guaidó buscará cooperação do Pentágono para sanar crise

O autoproclamado presidente interino da Venezuela, Juan Guaidó, afirmou, neste sábado (11), que pediu que seu enviado aos Estados Unidos se reunisse com oficiais do Pentágono para “cooperar” em uma solução para a crise política do país da América do Sul.


“Nós instruímos nosso embaixador Carlos Vecchio a se reunir imediatamente com o Comando do Sul e seu almirante para estabelecer uma relação direta”, disse Guaidó, em um comício em Caracas, de acordo com a agência Reuters. “Dissemos desde o início que usaríamos todos os recursos à disposição para fazer pressão”.


Ainda neste sábado, partidários de Guaidó se reuniram novamente em protesto à investida do governo contra o Parlamento opositor. A manifestação acontece dias depois do fracasso de uma rebelião militar anunciada pelo líder da oposição que tentava tirar do poder o presidente venezuelano, Nicolás Maduro.


Apesar disso, os protestos foram muito menores neste final de semana do que aqueles de 30 de abril. Informações da agência France Press apontam que cerca de 1,5 mil e 2 mil se reuniram em uma região de Caracas que é pouco hostil aos manifestantes. Guaidó falou à multidão e disse que é preciso vencer o medo e continuar com os protestos em todo o país.


"Estamos em um momento histórico", disse o líder da oposição. "Mesmo estando com medo, desesperançosos, nós continuamos a encher as ruas com esperança, poder e confiança".


Legisladores da oposição que foram presos, refugiados em embaixadas estrangeiras em Caracas, e ameaçados nos últimos dias em meio a uma abrangente repressão de Maduro contra o Congresso depois da revolta de 30 de abril.


Representantes do Comando do Sul dos Estados Unidos e Vecchio não responderam imediatamente a pedidos por comentários feitos pelas agência Reuters. Oficiais da administração Trump disseram várias vezes que “todas as opções estão na mesa” para derrubar Maduro, que chama Guaidó de marionete dos EUA querendo tirá-lo do poder com um golpe.


O Comando do Sul afirmou em uma publicação no Twitter na quinta-feira que estava preparado para discutir “como pode apoiar o futuro papel” de líderes das forças armadas venezuelanas que “restaurarem a ordem constituição, quando forem convidados por Guaidó.


Guiadó disse a um jornal italiano esta semana que “provavelmente” aceitaria intervenção militar dos EUA, se o país a propusesse.


Em janeiro, Guaidó invocou a constituição da Venezuela para assumir a presidência interina, argumentando que a reeleição do presidente Nicolás Maduro, em 2018, não era legítima. Ele foi reconhecido pela maioria dos países ocidentais e da América Latina, mas Maduro manteve o apoio dos aliados China, Rússia e Cuba.


Navio da Guarda Costeira


O Ministério da Informação da Venezuela não respondeu imediatamente ao pedido por um comentário. O Ministro da Defesa, Vladimir Padrino, disse no sábado que um barco da Guarda Costeira dos EUA havia entrado em águas venezuelanas, o que ele disse que “não seria aceito”.


Um porta-voz do Comando do Sul disse na sexta-feira que um barco da Guarda Costeira dos EUA conduzia uma “missão de monitoramento e detecção de drogas” em “águas internacionais” no Mar do Caribe, em 9 de maio.


Preocupação internacional


A maioria dos países latino-americanos, assim como a União Europeia, expressou oposição a uma potencial intervenção militar na Venezuela. O chefe de política externa da UE, Federica Mogherini, disse na semana passada que o grupo ode contato está preparado para começar “uma missão no nível político” em Caracas.


Guaidó, líder da Assembleia Nacional controlada pela oposição, acrescentou que recebeu recado da China de que o país se juntaria aos esforços diplomáticos entre países europeus e latino-americanos, conhecido como Grupo de Contato da Venezuela, para negociar um fim para a crise.


1- Juan Guaidó em protesto contra o governo de Nicolás Maduro, em Caracas — Foto: Ivan Alvarado/Reuters
2- Oposição voltou a se reunir na Venezuela neste sábado (11), mas em número menor do que nos protestos do último dia 30 de abril. — Foto: Ueslei Marcelino/Reuters




   

Por G1 / Camapuã News

Opiniões

0 Comentários para "Guaidó buscará cooperação do Pentágono para sanar crise"

Deixe sua opinião

AVISO: As opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site camapuanews. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros, ficando seus autores, após identificado o IP, responsáveis civil e penalmente por seus conteúdos.
Nome
E-mail (Não divulgado)
Mensagem
     
+Leia mais notícias

  Serviços do INSS serão acessados só por internet

  Farmácia é autuada por diferença nos preços

  Número de homicídios cai, mas de feminicídios aumentam

+Notícias mais lidas da semana

Camapuã: Câmara analisa afastamento do prefeito e vice
A base é recebimento pelo juiz da denúncia do MP por improbidade administrativa
Câmara de Camapuã entrega Título de ‘Mulher Inspiradora
Evento homenageou nove mulheres da cidade e teve palestra motivadora.
Médico genecologista e mulher morrem em acidente aéreo
Foi na Capital. Eles estavam na aeronave que caiu no aeroporto Santa Maria
Capivara vira caso de polícia em bar de Coxim
O proprietário do estabelecimento, de 55 anos, foi quem fez o acionamento.
Publicidade


2009 © Todos os direitos reservados ao Camapuã News. Este material pode
ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído, desde que citada a fonte.
Marknet®