Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

FECHAR
> Geral / Geral

Publicado em: 25/04/2019 - 10:20:13

CG: Professores acampam na Prefeitura e cobram reajuste

Integrantes da diretoria da ACP (Sindicato Campo-Grandense dos Profissionais da Educação Pública) estão reunidos na Prefeitura de Capital nesta quinta-feira (25) com expectativa de se reunir com o prefeito Marquinhos Trad (PSD). A categoria quer discutir o reajuste salarial, mas a Prefeitura ainda está acima do limite prudencial.


O sindicato afirma que ficará no local até ser atendido e pretende discutir um reajuste de 4,17% para a categoria. A vice-presidente da ACP, Zélia Aguiar, afirma que teve três reuniões com o secretário municipal de Finanças e Planejamento e que ficou combinado que seria enviada uma proposta. “Seria enviada em março, o que não aconteceu”, relata.


A vice-presidente afirma que a prefeitura havia pedido que a categoria aguardasse o fim do primeiro quadrimestre, mas o reajuste dos professores deveria acontecer em maio e não há perspectiva de aumento. “Queremos uma proposta para debater com a categoria, a categoria não é intransigente, queremos o que é nosso por direito”.


A ACP sugere que a Prefeitura retire os comissionados e aperte os cintos em outras secretarias, para assim dar o reajuste aos profissionais da educação. A categoria fica no local até ser atendida, mas ainda não há informações se o prefeito irá comparecer.


O Secretário Municipal de Finanças e Planejamento, Pedro Pedrossian Neto, afirma que a prefeitura ainda está acima do limite prudencial, com 52,2% de gasto com pessoal. Ainda assim, ele afirma que o resultado é positivo, já que houve uma redução nos gastos. O secretário afirma que há possibilidade de que a Prefeitura saia do limite prudencial, mas enquanto isto não ocorrer, negociações salariais são possibilidades remotas.


Não são só os servidores municipais da educação que estão com poucas perspectivas de aumento neste ano. Em reunião com a SAD (Secretaria de Estado de Administração e Desburocratização) na quarta-feira (25), os administrativos da educação do estado receberam a notícia de que também não devem receber um reajuste.


“A posição do governo é de não renovar o abono, já vai retirar [do salário] este mês, não vai pagar o abono, vai ficar com salário menor. O governo finaliza com congelamento de salário para 2019 para servidores”, afirmou o presidente da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), Jaime Teixeira.


 


 


(Foto: Marcos Ermínio)




 

Midiamax/ Camapuã News

Opiniões

0 Comentários para "CG: Professores acampam na Prefeitura e cobram reajuste"

Deixe sua opinião

AVISO: As opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site camapuanews. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros, ficando seus autores, após identificado o IP, responsáveis civil e penalmente por seus conteúdos.
Nome
E-mail (Não divulgado)
Mensagem
     
+Leia mais notícias

  Serviços do INSS serão acessados só por internet

  Farmácia é autuada por diferença nos preços

  Número de homicídios cai, mas de feminicídios aumentam

+Notícias mais lidas da semana

Camapuã: Câmara analisa afastamento do prefeito e vice
A base é recebimento pelo juiz da denúncia do MP por improbidade administrativa
Câmara de Camapuã entrega Título de ‘Mulher Inspiradora
Evento homenageou nove mulheres da cidade e teve palestra motivadora.
Médico genecologista e mulher morrem em acidente aéreo
Foi na Capital. Eles estavam na aeronave que caiu no aeroporto Santa Maria
Capivara vira caso de polícia em bar de Coxim
O proprietário do estabelecimento, de 55 anos, foi quem fez o acionamento.
Publicidade


2009 © Todos os direitos reservados ao Camapuã News. Este material pode
ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído, desde que citada a fonte.
Marknet®