Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

FECHAR
> Tribunal de Jusiça / Improbidade administrativa

Publicado em: 19/12/2018 - 16:50:03

TJMS: Desembargadora Tânia Borges continua suspensa

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre Moraes pediu vista ao mandado de segurança da desembargadora do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ-MS) Tânia Garcia de Freitas Borges.


Ela tenta derrubar a decisão do relator Luiz Fux que mantém o seu afastamento das funções jurisdicionais e administrativas até o julgamento do processo administrativo disciplinar  (PAD) que responde no Conselho Nacional de Justiça (CNJ).


Com isso o julgamento realizado ontem para definir o futuro de Tânia na corte estadual está suspenso.


A determinação do seu distanciamento do cargo é do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e já teve a manifestação de três ministros a favor da manutenção da decisão. São eles Luiz Fux, Roberto Barroso e Rosa Weber.


Para eles é impossível contestar o ato do CNJ por meio de mandado de segurança, pois seria necessário o exame de fatos e provas, o que é inviável nesse instrumento processual.


Fux ressaltou que o pedido formulado na ação é incompatível com rito especial do mandado de segurança, especialmente por não estar demonstrado, por meio de prova inequívoca, ilegalidade ou abuso de poder praticado pela autoridade impetrada que demonstre violação a direito líquido e certo.


O ministro Marco Aurélio divergiu. Em seu entendimento, o afastamento do cargo se deu em fase muito embrionária do processo.


A desembargadora é suspeita de cometer infrações disciplinares, por possível prática ilegal de influência sobre juízes, diretor de estabelecimento penal e servidores da administração penitenciária para agilizar o cumprimento de ordem de habeas corpus que garantia a remoção do seu filho, Breno Fernando Sólon Borges, preso sob a acusação de tráfico de drogas, para internação provisória em clínica para tratamento médico em Campo Grande (MS).


DEFESA


Os advogados de Tânia Borges fundamentam que o afastamento imposto pelo CNJ seria absolutamente injustificado porque ela teria agido como mãe e não praticado, no exercício de suas funções, qualquer irregularidade ou ilegalidade que justificasse a punição.


A fundamentação ainda alega que os indícios que embasaram a decisão destoaram dos depoimentos colhidos na instrução probatória da reclamação disciplinar e que não há provas que mostram a necessidade de retirar as garantias funcionais da magistrada.


Foto: Arquivo / Correio do Estado




 

Correio do Estado / Camapuã News

Opiniões

0 Comentários para "TJMS: Desembargadora Tânia Borges continua suspensa"

Deixe sua opinião

AVISO: As opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site camapuanews. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros, ficando seus autores, após identificado o IP, responsáveis civil e penalmente por seus conteúdos.
Nome
E-mail (Não divulgado)
Mensagem
     
+Leia mais notícias

  Brasil reage,vira contra França e pega México no Sub-17

Polícia encontra dois corpos em carro incendiado

  Juiz reafirma transferências a presídio federal

+Notícias mais lidas da semana

Ferido na perna, motorista é achado morto em canavial
A suspeita inicial da polícia é de morte acidental, mas não se sabe ele feriu-se
Lula é solto, beija namorada e ataca a Justiça
Ex-presidente foi colocado em liberdade depois de decisão de ontem do STF
Após 13 dias, queimadas são controladas no Pantanal
ONG pediu ao MPF que investigue as causas dos incêndios na região
Poesias viram músicas e 'Amigos Cantam Guimarães Rocha'
Evento acontece às 20h, no Clube dos Oficiais PMMS, 42 canções foram emolduradas
Publicidade


2009 © Todos os direitos reservados ao Camapuã News. Este material pode
ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído, desde que citada a fonte.
Marknet®