Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

FECHAR
> Tribunal de Jusiça / Improbidade administrativa

Publicado em: 19/12/2018 - 16:50:03

TJMS: Desembargadora Tânia Borges continua suspensa

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre Moraes pediu vista ao mandado de segurança da desembargadora do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ-MS) Tânia Garcia de Freitas Borges.


Ela tenta derrubar a decisão do relator Luiz Fux que mantém o seu afastamento das funções jurisdicionais e administrativas até o julgamento do processo administrativo disciplinar  (PAD) que responde no Conselho Nacional de Justiça (CNJ).


Com isso o julgamento realizado ontem para definir o futuro de Tânia na corte estadual está suspenso.


A determinação do seu distanciamento do cargo é do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e já teve a manifestação de três ministros a favor da manutenção da decisão. São eles Luiz Fux, Roberto Barroso e Rosa Weber.


Para eles é impossível contestar o ato do CNJ por meio de mandado de segurança, pois seria necessário o exame de fatos e provas, o que é inviável nesse instrumento processual.


Fux ressaltou que o pedido formulado na ação é incompatível com rito especial do mandado de segurança, especialmente por não estar demonstrado, por meio de prova inequívoca, ilegalidade ou abuso de poder praticado pela autoridade impetrada que demonstre violação a direito líquido e certo.


O ministro Marco Aurélio divergiu. Em seu entendimento, o afastamento do cargo se deu em fase muito embrionária do processo.


A desembargadora é suspeita de cometer infrações disciplinares, por possível prática ilegal de influência sobre juízes, diretor de estabelecimento penal e servidores da administração penitenciária para agilizar o cumprimento de ordem de habeas corpus que garantia a remoção do seu filho, Breno Fernando Sólon Borges, preso sob a acusação de tráfico de drogas, para internação provisória em clínica para tratamento médico em Campo Grande (MS).


DEFESA


Os advogados de Tânia Borges fundamentam que o afastamento imposto pelo CNJ seria absolutamente injustificado porque ela teria agido como mãe e não praticado, no exercício de suas funções, qualquer irregularidade ou ilegalidade que justificasse a punição.


A fundamentação ainda alega que os indícios que embasaram a decisão destoaram dos depoimentos colhidos na instrução probatória da reclamação disciplinar e que não há provas que mostram a necessidade de retirar as garantias funcionais da magistrada.


Foto: Arquivo / Correio do Estado




 

Correio do Estado / Camapuã News

Opiniões

0 Comentários para "TJMS: Desembargadora Tânia Borges continua suspensa"

Deixe sua opinião

AVISO: As opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site camapuanews. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros, ficando seus autores, após identificado o IP, responsáveis civil e penalmente por seus conteúdos.
Nome
E-mail (Não divulgado)
Mensagem
     
+Leia mais notícias

Ex-vereadores de 3 cidades devolverão R$ 124,4 mil

  Uma menina de 3 anos viu os pais serem mortos a facadas

Bolsonaro tem 43% de rejeição e 33% de aceitação

+Notícias mais lidas da semana

Mulher com Covid fura isolamento e é presa em MS
Foi em Ponta Porã. Ela vai ter que ficar em casa e com tornozeleira.
'Caminho é cadeia ou cemitério', lamenta mãe
A frase é da mãe do adolescente morto durante assalto à policial.
28 crianças testaram positivo para coronavírus em MS
Nenhuma delas ficou internada. 22 ainda estão em isolamento domiciliar.
MS: Vereador é condenado por receptação de gado furtado
A pena é de quatro anos, quatro meses e seis dias de prisão
Publicidade


2009 © Todos os direitos reservados ao Camapuã News. Este material pode
ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído, desde que citada a fonte.
Marknet®