FECHAR
> Geral / Geral

Publicado em: 23/01/2018 - 16:35:11

Receita obriga Palmeiras a mudar acordo com a Crefisa

A Receita Federal vetou o molde da parceria entre Palmeiras e Crefisa.


A relação pode existir, mas seguindo novas regras. Agora, o time alviverde é obrigado a devolver o investimento feito pela parceira nas contratações dos atletas. A medida começa a valer a partir deste ano, mas tem efeito retroativo para os reforços bancados pela empresa no passado por meio de aditivos inseridos nos contratos.


Na prática, isso significa que o clube passa a ter um risco caso não consiga vender os atletas que foram contratados com aporte da instituição financeira. A informação foi dada pelo jornal "O Estado de S. Paulo" e confirmada por pessoas do clube e da patrocinadora. Para entender a diferença, o caso de Borja serve como explicação.


Para colocar o colombiano no Palmeiras, a Crefisa bancou quase R$ 35 milhões. Nos moldes anteriores, o clube precisaria devolver a mesma quantia caso vendesse o atleta e poderia ficar com o lucro. Caso o atacante não fosse negociado ou vendido por um valor menor, o prejuízo ficaria apenas com a instituição financeira.


Nos novos moldes, o time paulista segue com o direito de receber um eventual lucro na transação, mas também precisará devolver o dinheiro caso o camisa 9 não seja negociado. Esse pagamento pode ser feito em até dois anos e sofrerá a menor correção monetária possível. Antes, essa verba era justificada como compras de propriedades de marketing.


A Crefisa já investiu cerca de R$ 130 milhões em jogadores. O que antes era risco zero, agora, passa a ser um compromisso futuro e só se transforma em dívida caso o jogador seja vendido por um valor inferior ou deixe o clube ao término de seu vínculo. O novo modelo de parceria é um espelho do que ocorreu com a contratação de Yerri Mina, usando o dinheiro do ex-presidente Paulo Nobre.


A mudança foi uma exigência da Receita Federal. Antes disso, a Crefisa já tinha sido multada em R$ 30 milhões pelo aporte feito em 2015 e 2016. A empresa, inclusive, se adiantou e já pagou R$ 80 milhões à Receita referentes aos investimentos de 2017 antes mesmo de uma eventual multa.


Na análise da contabilidade da Crefisa feita pelos auditores, o investimento que aparecia como despesa interferia na tributação por diminuir o lucro.


Em 2018, a primeira ajuda do patrocinador veio com Lucas Lima. A empresa bancará as luvas e comissões do acordo, que chegam a quase R$ 20 milhões, e ainda pagará metade dos R$ 600 mil de salário por mês. Esse valor precisará ser devolvido pelo Palmeiras à instituição presidida por Leila Pereira.


Por conta da nova exigência da Receita, inclusive, a Crefisa não entrou nas outras negociações feitas pelo Palmeiras. As chegadas de Diogo Barbosa, Weverton e Gustavo Scarpa foram bancadas com dinheiro do clube. 


 


(Foto: Cesar Greco/Ag.Palmeiras/Divulgação)




 

Folha Press/ Camapuã News

Opiniões

0 Comentários para "Receita obriga Palmeiras a mudar acordo com a Crefisa"

Deixe sua opinião

AVISO: As opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site camapuanews. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros, ficando seus autores, após identificado o IP, responsáveis civil e penalmente por seus conteúdos.
Nome
E-mail (Não divulgado)
Mensagem
     
+Leia mais notícias

  Como é formado o preço da gasolina?

  JBS interrompe abates após paralisação de caminhoneiros

  Seleção não garante Neymar 100% na Copa

+Notícias mais lidas da semana

Reinaldo e prefeito Delano lançam obras em Camapuã
O evento oficial ocorrerá às 16 horas, na Vila Olídia Alves da Rocha
Mulher despediu da filha antes de sair e ser decaptada
Ela disse para a criança que iria embora e pediu para a menina ficar com a avó
Prefeito Delano e Governador lançam obras em Camapuã
O valor das parcerias entre o município e o Estado é de quase R$ 9 milhões
Dois comandantes da PMs no interior são presos em MS
Lista inclui tenentes-coronéis, sargentos e cabo da Polícia Militar
Publicidade


2009 © Todos os direitos reservados ao Camapuã News. Este material pode
ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído, desde que citada a fonte.
Marknet®