FECHAR
> Geral / Geral

Publicado em: 23/01/2018 - 16:35:11

Receita obriga Palmeiras a mudar acordo com a Crefisa

A Receita Federal vetou o molde da parceria entre Palmeiras e Crefisa.


A relação pode existir, mas seguindo novas regras. Agora, o time alviverde é obrigado a devolver o investimento feito pela parceira nas contratações dos atletas. A medida começa a valer a partir deste ano, mas tem efeito retroativo para os reforços bancados pela empresa no passado por meio de aditivos inseridos nos contratos.


Na prática, isso significa que o clube passa a ter um risco caso não consiga vender os atletas que foram contratados com aporte da instituição financeira. A informação foi dada pelo jornal "O Estado de S. Paulo" e confirmada por pessoas do clube e da patrocinadora. Para entender a diferença, o caso de Borja serve como explicação.


Para colocar o colombiano no Palmeiras, a Crefisa bancou quase R$ 35 milhões. Nos moldes anteriores, o clube precisaria devolver a mesma quantia caso vendesse o atleta e poderia ficar com o lucro. Caso o atacante não fosse negociado ou vendido por um valor menor, o prejuízo ficaria apenas com a instituição financeira.


Nos novos moldes, o time paulista segue com o direito de receber um eventual lucro na transação, mas também precisará devolver o dinheiro caso o camisa 9 não seja negociado. Esse pagamento pode ser feito em até dois anos e sofrerá a menor correção monetária possível. Antes, essa verba era justificada como compras de propriedades de marketing.


A Crefisa já investiu cerca de R$ 130 milhões em jogadores. O que antes era risco zero, agora, passa a ser um compromisso futuro e só se transforma em dívida caso o jogador seja vendido por um valor inferior ou deixe o clube ao término de seu vínculo. O novo modelo de parceria é um espelho do que ocorreu com a contratação de Yerri Mina, usando o dinheiro do ex-presidente Paulo Nobre.


A mudança foi uma exigência da Receita Federal. Antes disso, a Crefisa já tinha sido multada em R$ 30 milhões pelo aporte feito em 2015 e 2016. A empresa, inclusive, se adiantou e já pagou R$ 80 milhões à Receita referentes aos investimentos de 2017 antes mesmo de uma eventual multa.


Na análise da contabilidade da Crefisa feita pelos auditores, o investimento que aparecia como despesa interferia na tributação por diminuir o lucro.


Em 2018, a primeira ajuda do patrocinador veio com Lucas Lima. A empresa bancará as luvas e comissões do acordo, que chegam a quase R$ 20 milhões, e ainda pagará metade dos R$ 600 mil de salário por mês. Esse valor precisará ser devolvido pelo Palmeiras à instituição presidida por Leila Pereira.


Por conta da nova exigência da Receita, inclusive, a Crefisa não entrou nas outras negociações feitas pelo Palmeiras. As chegadas de Diogo Barbosa, Weverton e Gustavo Scarpa foram bancadas com dinheiro do clube. 


 


(Foto: Cesar Greco/Ag.Palmeiras/Divulgação)




 

Folha Press/ Camapuã News

Opiniões

0 Comentários para "Receita obriga Palmeiras a mudar acordo com a Crefisa"

Deixe sua opinião

AVISO: As opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site camapuanews. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros, ficando seus autores, após identificado o IP, responsáveis civil e penalmente por seus conteúdos.
Nome
E-mail (Não divulgado)
Mensagem
     
+Leia mais notícias

  Estudante de medicina é torturada e morta com16 facadas

  Dilma é hostilizada durante passeio de bicicleta

  Camapuã: Jovem é ameaçada pelo ex e procura a Delegacia

+Notícias mais lidas da semana

Motorista perde controle, carro sai da pista e capota
Quatro pessoas ficaram feridas.
1º Encontro de Violeiros de MS foi exemplar em Camapuã
Milhares de pessoas foram ver duplas de renome nacionais se apresentarem.
Mãe estranha comportamento de filho e descobre estupro
Menino de 8 anos foi estuprado por peão de fazenda.
INFORME: Creche Menino Jesus faz almoço beneficente
Será no dia 19 de agosto, no Salão Conviver
Publicidade


2009 © Todos os direitos reservados ao Camapuã News. Este material pode
ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído, desde que citada a fonte.
Marknet®