FECHAR
> Justiça / Justiça Federal

Publicado em: 14/01/2018 - 22:14:00

STF e TRF-4 discutirá segurança em julgamento de Lula








A presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministra Cármen Lúcia, receberá às 10h desta segunda-feira (15) o presidente do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), desembargador Carlos Eduardo Thompson Flores, para conversar sobre questões de segurança durante o julgamento do recurso do ex-presidente Lula, marcado para o dia 24 em Porto Alegre.


Na semana passada, Thompson Flores relatou a Cármen Lúcia sua apreensão com ameaças que os magistrados do TRF-4 têm recebido, principalmente nas redes sociais. O tribunal é responsável por julgar os recursos dos condenados pela Operação Lava Jato em Curitiba.


Conforme a agenda da presidente do Supremo, o encontro nesta segunda será para tratar de "assuntos institucionais". A reunião foi marcada a pedido de Thompson Flores. O CNJ (Conselho Nacional de Justiça), que também é presidido por Cármen Lúcia, tem uma departamento exclusivo para cuidar da segurança de juízes e desembargadores.

 


O presidente do TRF-4 já se reuniu com parlamentares petistas na sexta (12) para relatar que está preocupado com possíveis conflitos durante o julgamento de Lula. Thompson Flores disse aos parlamentares que os juízes estão recebendo ameaças e que alguns deles tiraram suas famílias do Rio Grande do Sul. Ele citou o caso de uma pessoa de Mato Grosso do Sul que tem ameaçado atacar fisicamente o prédio do TRF-4.


"Não há nos movimentos sociais qualquer disposição para conflitos, não há orientação nesse sentido", disse o deputado Marco Maia (PT-RS), que admitiu haver "radicalismo" de todos os lados. Por causa do clima de tensão, o TRF-4 decidiu alterar o horário de expediente e suspender os prazos processuais e as intimações nos dias 23 e 24 de janeiro, na véspera e no dia do julgamento.


O CASO DO TRÍPLEX


O ex-presidente Lula foi condenado pelo juiz Sergio Moro, em julho de 2017, a nove anos e meio de prisão. Ele recorreu da sentença. Lula é acusado de receber R$ 3,7 milhões em propina da empreiteira OAS, em decorrência de contratos da empresa com a Petrobras.


O valor, segundo a acusação, refere-se à suposta cessão pela OAS de um apartamento tríplex em Guarujá (SP) ao ex-presidente, às reformas feitas pela construtora no imóvel e ao transporte e armazenamento de seu acervo presidencial. O petista nega ter cometido crimes. Caso o TRF-4 mantenha sua condenação, ele poderá ser enquadrado na Lei da Ficha Limpa.





Foto: Agências



 

Agências / Midiamax / Camapuã News

Opiniões

0 Comentários para "STF e TRF-4 discutirá segurança em julgamento de Lula"

Deixe sua opinião

AVISO: As opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site camapuanews. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros, ficando seus autores, após identificado o IP, responsáveis civil e penalmente por seus conteúdos.
Nome
E-mail (Não divulgado)
Mensagem
     
+Leia mais notícias

  Cinco sinais que indicam que alguém pode ter Alzheimer

  Carreta com combustível é escoltada pela polícia até CG

  Justiça eleitoral eliminou fragilidade das urnas

+Notícias mais lidas da semana

Produtos podem faltar a partir de sábado nos mercados
Situação é mais crítica no interior.
Prefeito Delano e Governador lançam obras em Camapuã
O valor das parcerias entre o município e o Estado é de quase R$ 9 milhões
Dra.Márcia articula e efetiva asfalto a toda VilaOlídia
Ela intercedeu junto ao governador e teve confirmação de asfalto da Vila inteira
Dois comandantes da PMs no interior são presos em MS
Lista inclui tenentes-coronéis, sargentos e cabo da Polícia Militar
Publicidade


2009 © Todos os direitos reservados ao Camapuã News. Este material pode
ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído, desde que citada a fonte.
Marknet®