Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

FECHAR
> Mato Grosso do Sul / Datas comemorativas

Publicado em: 11/10/2017 - 20:55:29

40 personalidades que fizeram história no Estado de MS

No aniversário de 40 anos de Mato Grosso do Sul, o Jornal Midiamax fez uma lista com 40 personalidades que se destacaram nas mais diversas áreas: artes, literatura, política, negócios, música, esporte entre outras.


Algumas exceções tiveram que ser abertas: pessoas que vieram para Mato Grosso do Sul e fizeram dessas terras, a morada de uma vida e deixaram a sua marca para futuras gerações. 

É claro que muita gente importante ficou de fora e, pedimos a compreensão de todos. Mas, Mato Grosso do Sul ainda é um jovem estado e, nos próximos aniversários aumentaremos essa lista, com certeza.


Abud e Bernardo Lahdo: Os irmãos Lahdo destacaram-se na área do Cinema, com o filme Paralelos Trágicos (1965), primeiro longa-metragem feito em Campo Grande. A produção foi baseada em livro escrito por Bernardo foi dirigida por Abud. Chegou a ser censurada na época. Criaram a Lahdo Produções Cinematográfica com produções de documentários e jornais cinematográficos. A Lahdo tornou-se uma grande exibidora, com salas distribuídas nos estados do Paraná e São Paulo. Em Campo Grande, inauguraram o Cine Acapulco e o Cine Jalisco.


 


Almir SaterAlmir Sater

​Almir Sater: Almir Eduardo Melke Sater nasceu em Campo Grande, em 1956. Começou a tocar violão ainda criança. Com 20 anos, muda-se para o Rio de Janeiro para estudar direito. Lá, assistiu à apresentação de uma dupla de violeiros mineiros e decidiu abandonar o curso de direito para dedicar-se à música.

Em suas músicas, há influência da cultura paraguaia e pantaneira com o chamamé, o rasqueado, além de influencias diversas como rock, pop, MPB e jazz.


 


André Puccinelli: André Puccinelli nasceu em Viareggio (Itália) e veio para o Brasil com menos de um ano. Formado em medicina, atuou profissionalmente em Fátima do Sul e em Campo Grande. Foi Secretário Estadual de Saúde (l983/85), Deputado estadual por dois mandatos (1987/91 e l991/95) e Deputado federal (l995/96) até ser eleito prefeito de Campo Grande por dois mandatos (1997/2000 e 2001/04). Foi eleito Governador de Mato Grosso do Sul em 2006 e reeleito ao Executivo do Estado em 2010.


Aracy Balabanian: Filha de imigrantes armênios, nasceu em 1940, em Campo Grande. Conheceu o teatro e decidiu ser atriz por volta dos 15 anos, quando já morava em São Paulo. Em casa, o pai e o irmão não aceitavam a escolha de Aracy em ser atriz. Fez a estreia em 1968, na TV Tupi. Já participou de mais de 50 produções na televisão.


Conceição FerreiraConceição Ferreira

Conceição Ferreira: Nasceu em 1904, numa aldeia de Portugal, mas é considerada uma das pioneiras do Estado no cenário cinematográfico e teatral. Em 1929, chegou ao então estado de Mato Grosso com sua própria companhia teatral.

Em Campo Grande atua como atriz principal no filme “Alma do Brasil” (primeira produção cinematográfica do Estado). Criou uma nova companhia de teatro, formada pelos jovens da sociedade local. Eles estrearam no dia 17 de julho de 1932 no antigo teatro Trianon com a peça “Cabocla Bonita”. Conceição Ferreira faleceu em 29 de maio de 1992.


David Cardoso: José Darcy Cardoso é o nome de batismo de David Cardoso, galã das décadas de 1960 e 1970, que ficou conhecido como o Rei da Pornochanchada. Nasceu em Maracaju em 1943 e se interessou por cinema desde cedo. Em 1963 mudou-se para São Paulo e trabalhou como continuísta e diretor de produção na Pam Filmes, empresa criada por Mazzaropi. Como ator, participou de mais de 40 filmes e novelas.


Chegou ao estrelato em 1971 em A Moreninha (1970), filme baseado no romance homônimo de Joaquim Manuel de Macedo. Em 1973, funda a Dacar Produções Cinematográficas, produtora de quase todos os seus filmes subsequentes.


Delasnieve Daspet: Nasceu em Porto Murtinho em 1950. É advogada e poetisa, além de ativista das causas da Paz, sociais, humanas, ambientais e culturais. Em Campo Grande, exerce a profissão de advogada em participa da comissão de Direitos Humanos da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), do Conselho de Cultura entre outros.


Delio e DelinhaDelio e Delinha

Delio e Delinha: Primos e também marido e mulher, nascidos em Maracaju, formaram umas das principais duplas sertaneja do Estado e do Brasil. Cantando, de início, em festas e programas de auditório, foram conquistando popularidade.

Após o casamento, na década de 1950, trocaram Mato Grosso do Sul, pelo interior de São Paulo, onde cantaram em rádios e assinaram contrato com uma gravadora. Delio morreu em sua casa na Capital, em aos 84 anos, em fevereiro de 2010.


Dorcelina Folador: Nasceu em 27 de julho de 1963, em Guaporema (PR) e chegou a Mundo Novo em 1976 aos 11 anos. Foi militante do PT, liderança do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra e defensora das reivindicações de gênero. Trabalhou como professora, poeta, artista plástica.


Foi eleita prefeita de Mundo Novo em 1996 e seu mandato foi interrompido em outubro de 1999, aos 36 anos, quando foi assassinada na varanda de casa. O enterro de Dorcelina foi acompanhado por milhares de pessoas e lideranças do PT.


Emmanuel Marinho: Poeta, ator e educador, nasceu em Dourados. Compõe poemas, edita-os em livros e os interpreta no teatro e na música. Pesquisando a cultura sul-mato-grossense, Marinho desenvolveu uma linguagem artística entre o teatro, a música e a literatura. Deste trabalho resultou a publicação de sete livros, um CD e vários espetáculos teatrais. “Poesia não compra sapato, mas como andar sem poesia?


Francisco Anselmo de Barros: jornalista e ambientalista nasceu em 1940. “Franselmo” ateou fogo ao próprio corpo, em novembro de 2005, no Centro de Campo Grande durante manifestação contra a instalação de usinas de álcool e açúcar na bacia do rio Paraguai, no Pantanal. Dedicou mais de 30 anos da vida às causas preservacionistas. Era consultor na instalação da WWF Brasil, membro da Diretoria da Rede Mata Atlântica e da Rede Ambientalista Greenpeace, na campanha dos Transgênicos.


Oliva EncisoOliva Enciso

Oliva Enciso: Nasceu em Corumbá, em 1909. Foi professora e na década de 1950 assumiu a direção da CENEC (Campanha Nacional dos Educandários Gratuitos). Na política, filiada à UDN (União Democrática Nacional), elegeu-se vereadora em Campo Grande em 1954, sendo a mais votada e exerceu o mandato de 1955 a 1959, quando elegeu-se deputada estadual, também com a maior votação do estado de Mato Grosso, sendo a pioneira nos dois mandatos. Foi escritora e publicou dois livros, além de colaborar para jornais do Estado.


Glauce Rocha: Glauce Eldé Ilgenfritz Corrêa de Araújo Rocha nasceu em Campo Grande em 1933. Começou a atuar em 1951. Foi protagonista e teve papeis de destaque em várias novelas. No cinema, atuou em Terra em Transe, 1967, Navalha da Carne, 1969, entre outros 25 filmes. Morreu precocemente, de enfarto fulminante, aos 38 anos, em 1971.


Helena Meirelles: Nasceu em Bataguassu, em 1924. Cresceu rodeada de peões, comitivas e violeiros pantaneiros. Aprendeu a tocar sozinha e escondida, fugiu de casa aos 15 anos e teve o primeiro filho aos 17. Sua música seguiu os ritmos de sua região, com influências paraguaias, entre eles, chamamé, rasqueado e polca. Reconhecida pelos sul-mato-grossenses como expressão das raízes e da cultura da região, começou a ser divulgada fora de sua região, quando foi apresentada (1980) por Inezita Barroso.


Em 1993, foi eleita pela revista americana Guitar Player (com voto de Eric Clapton), como uma das 100 melhores instrumentistas do mundo. Faleceu em 2005 e foi enterrada em Campo Grande. (Foto que abre esta matéria)


Hildebrando Campestrini: Nasceu em 6 de maio de 1941, na cidade de Cedro, Santa Catarina, e viveu mais de 55 anos em Mato Grosso do Sul. Era escritor, e membro da Academia Sul-mato-grossense de Letras.


Entre as obras de Hildebrando estão a ‘História de Mato Grosso do Sul’, que vai para a oitava edição, ‘Santana do Paranaíba’, 'Eldorado – memória e riquezas', além de organizar e reeditar autores sul-mato-grossenses ou ligados à nossa história, como ‘Obras Completas de Hélio Serejo’, ‘Obras Completas de Raul Silveira de Mello’, além de organizar a Série Memória Sul-Mato-Grossense. E é também, coautor da Enciclopédia das Águas de Mato Grosso do Sul, obra ímpar na cultura regional.



Humberto Espíndola: Nasceu em Campo Grande, em 1943, artista plástico brasileiro, criador e difusor do tema bovinocultura. Pintor e desenhista. Forma-se em jornalismo na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade Católica do Paraná, em 1965.

No ano seguinte, organiza a Primeira Exposição dos Artistas Mato-Grossenses, em Campo Grande, onde funda, em 1967, a Associação Mato-Grossense de Arte. Volta-se a temáticas regionais e produz pinturas inspiradas na bovinocultura.


Isaac de Oliveira: Nasceu em 1953, em Ilhéus (BA) e mora há mais de 30 anos em Campo Grande. Artista plástico, é um dos mais conhecidos pintores das artes contemporâneas brasileiras. Em suas telas, a natureza sul-mato-grossense ganha destaque: araras, ipês, peixes e flores da região são representadas.


Jânio Quadros: Nasceu em Campo Grande, em 1917. Formou-se em direito em 1939, trabalhou como advogado na capital paulista antes de entrar para a vida pública. Foi eleito vereador em 1947, deputado estadual em 1950, prefeito de São Paulo em 1953 e governador em 1954. Seu lema durante a campanha à presidência da República era "varrer a corrupção".


Eleito com 48% dos votos, resultado que superou o recorde da época para o Brasil, tomou posse em janeiro de 1961. Renunciou sete meses depois, alegando sofrer pressão de "forças terríveis". Em 1964, Jânio teve seus direitos políticos cassados pelo Regime Militar. Morreu em 1992, em São Paulo.


José Manuel Fontanillas Fragelli: Nasceu em Corumbá, em 1915. Foi pecuarista e político brasileiro. Foi bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais, pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, 1938; Promotor de justiça em Campo Grande (1939 — 1943); secretário de Justiça e Finanças (1953 — 1954); diretor e professor do Colégio Osvaldo Cruz em Campo Grande; constituinte em 1947; deputado estadual (1947 a 1950); deputado estadual (1950 a 1954); líder da oposição pela UDN (1947 a 1951); líder do governo pela UDN (1951 a 1953); deputado federal (1955-1959); governador (1970 a 1974); senador (1-11-80 a 31-1-87); presidente do Senado Federal (1985-1987); presidente do Congresso Nacional (1985-1987); presidente da República interino (28 a 30-9-1986 e 9 a 14-9-1986).


Foi governador de Mato Grosso na década de 70 e presidente do Senado no período de 1985 a 1987, representante do Estado de Mato Grosso do Sul, tendo exercido o mandato de senador no período de 1980 a 1987. Nessa época, chegou a assumir a presidência da República, no lugar de José Sarney.


Em 1983, liderou um grupo de 15 senadores que foram ao governador de Minas Gerais Tancredo Neves para sugerirem que ele se candidatasse a presidente da república no pleito indireto de 1985.


José Antônio Pereira: Nasceu em 1825, em Barbacena (MG). Após o fim da Guerra do Paraguai, decidiu explorar as terras do então Mato Grosso. Em 1872, fez a primeira viagem as terras que mais tarde, viria fundar Campo Grande. Em 1875, formou uma comitiva e deu início à segunda viagem rumo a propriedade que deixara em Campo Grande e onde foi fundada a cidade que viria a ser a Capital do Estado. Morreu em Campo Grande, em 1900.


Harry Amorim Costa: Nasceu em Cruz Alta, em 1927. Foi um engenheiro e político brasileiro, o primeiro governador do estado do Mato Grosso do Sul quando era servidor público do Departamento Nacional de Obras de Saneamento, uma autarquia federal criada pelo presidente Ernesto Geisel.


Em 1982, foi eleito deputado federal pelo PMDB, então principal partido de oposição ao governo de João Figueiredo. Não conseguiu se reeleger em 1986, sendo então nomeado secretário de estado de Meio Ambiente, em 1987. 
Morreu em Miranda, em 1988, em acidente automobilístico.


Manoel de BarrosManoel de Barros

Manoel de Barros: Nasceu em Cuiabá, em 1916 e mudou-se ainda criança para Campo Grande, onde viu a maior parte da vida. Foi um dos principais poetas contemporâneos e extraía seus versos da realidade imediata que o cercava, sobretudo a natureza do Pantanal. Viveu no Rio de Janeiro, onde estudou e voltou para a Capital.

Publicou mais de vinte livros e recebeu vários prêmios literários, entre eles, dois Prêmios Jabutis e foi membro da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras. Morreu em Campo Grande, em 2014.


Maria da Glória de Sá Rosa: Nasceu em Mombaça no Ceará, em 1928. Viveu a maior parte da vida em Campo Grande, onde foi professora da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) por 26 anos, lecionando Literatura, Língua Portuguesa e História da Arte. Publicou vários livros e centenas de artigos sobre cultura em jornais e revistas e foi uma das maiores incentivadoras da arte do nosso Estado.


Marcelo Miranda Soares: Nasceu em Uberaba em 1938. Em 1976 foi eleito prefeito de Campo Grande. Em 1979 foi nomeado governador de Mato Grosso do Sul, ficando no cargo até o ano seguinte. Em 1982 foi eleito senador. Em 1987 foi eleito governador de Mato Grosso do Sul.


Foi superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes no Mato Grosso do Sul, entre 2003 e 2012.


MullerMuller

Muller: Futebolista, nasceu em Campo Grande, em 1966 e é irmão de ‘Cocada’. Foi um dos principais nomes do São Paulo Futebol no começo da década de 1990. Foi campeão brasileiro em 1986 e em 1991, bicampeão da Libertadores em 1992 e 1993 e da Copa Intercontinental também em 1992 e 1993. Marcou o gol do título contra o Milan. Ainda pelo São Paulo foi campeão paulista em 1985, 1987, 1991 e 1992 e da Supercopa da Libertadores de 1993.


Também atuou no Palmeiras, Santos, Corinthians e Portuguesa. Pela Seleção Brasileira jogou na Copa de 94 e atuou em 59 partidas, sendo 35 vitórias, 15 empates e nove derrotas.


Ney Mato Grosso: Nasceu em Bela Vista, em 1941. Desde criança demonstrou vocação artística: cantava, pintava, interpretava. Até completar 17 anos, sua família morou, além de Bela Vista, no Recife, em Salvador, no Rio de Janeiro e em Campo Grande. Deixou a casa da família para entrar na Aeronáutica trabalhou no Hospital de Base de Brasília. Nessa época, foi convidado para participar de um festival universitário e chegou a formar um quarteto vocal.


Despois disso, formou o grupo Secos e Molhados, com o qual gravou dois discos. Deixou o grupo e seguiu carreira solo sendo considerado uma das maiores vozes do Brasil.


Paulo Coelho Machado: Nasceu em 1917, em São Paulo. Foi pecuarista, advogado, jornalista, historiador e escritor em Mato Grosso do Sul. Na Academia Sul-Mato-Grossense de Letras ocupou a cadeira 21. Deixou obras que contam a história de Campo Grande. Foi vereador por dois mandatos, jornalista e diretor do “O Campograndese” e presidente da Acrisul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul). Faleceu em 1999, em Campo Grande.


Pedro Pedrossian: Nasceu em Miranda, em 1928. Formou-se em engenharia civil e tornou-se engenheiro residente da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil em Três Lagoas. Em outubro de 1965 foi eleito governador pela coligação do Partido Social Democrático (PSD) e do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Foi governador de Mato Grosso no período de 1966 a 1971, antes que o estado fosse dividido. Eleito senador em 1978, renunciou ao mandato em 1980 para assumir o cargo governador nomeado do estado de Mato Grosso do Sul em 7 de novembro daquele ano. Em 15 de março de 1991 assumiu novamente o cargo de governador sul-mato-grossense — eleito em pleito direto ocorrido em 1990. Permaneceu no posto até 1º de janeiro de 1995. Faleceu em agosto de 2017, em Campo Grande.


Ramez TebetRamez Tebet

Ramez Tebet: Nasceu em Três Lagoas em 1936. Ingressou na vida política elegendo-se prefeito de Três Lagoas na legenda do MDB, partido de oposição ao regime militar instaurado no país. Assumiu a prefeitura de Três Lagoas (1975-1978)


Entre diversos cargos políticos, foi deputado estadual relator da 1ª Constituição do Estado de Mato Grosso do Sul (1979-1982), vice-governador do estado, ministro da integração nacional (2001-2001), Senador, presidente do Senado Federal e do Congresso Nacional. Morreu aos 70 anos, em 2006, em Campo grande. É pai da senadora Simone Nassar Tebet.


Reinaldo Azambuja Silva: Nasceu em Campo Grande, em 1963. Agropecuarista, é o atual governador do estado de Mato Grosso do Sul.


Elegeu-se prefeito de Maracaju em 1996 e reelegeu-se em 2000. Neste período, foi presidente da Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul (Assomasul). Em 2006, elegeu-se deputado estadual. Teve a maior votação da história de Mato Grosso do Sul. Em 2010, elegeu-se deputado federal.


Nas eleições em Mato Grosso do Sul em 2014 concorreu ao cargo de governador. Obteve a segunda colocação no primeiro turno e venceu o pleito no segundo turno, contra o candidato Delcídio Amaral.


Tia Eva: A ex-escrava Eva Maria de Jesus saiu de Goiás por volta de 1900, com três filhas, para vir se estabelecer em Campos de Vacaria. A história da comunidade fundada por ela, se confunde com a própria história de Tia Eva e com a fundação de Campo Grande. Chegando por aqui, trabalhou como lavadeira, parteira, cozinheira, curandeira e benzedeira. Em 1910 adquiriu uma terra de oito hectares que lhe custou 85 mil réis, onde atualmente, residem mais de 60 famílias descendentes.


A comunidade negra da Igrejinha de São Benedito, de quem Tia Eva era devota, é definida como uma comunidade remanescente de quilombo desde 1905 e reconhecida pela Fundação Cultural Palmares.



Tupã-Y/ Marçal de Souza: Nasceu na região de Ponta Porã, em 1920. Foi líder do povo indígena Guarani Ñandeva. Em 1959 faz um curso na OMS (Organização Mundial de Saúde) e forma-se atendente de enfermagem, profissão que exerce até a morte.


Desde o início dos anos 70 denuncia a expropriação de terras indígenas, a exploração ilegal de madeira, a escravização de índios e o tráfico de meninas índias. Vítima de perseguições foi assassinado na porta de sua casa, aos 63 anos, em Antônio João.


Vespasiano Barbosa Martins: Nasceu em Campo Grande, então Vacaria, em 1889. Foi médico e político brasileiro. Foi intendente uma vez e prefeito de Campo Grande por três vezes, governador revolucionário e foi senador por dois mandatos.


Em 1932 participou da Revolução Constitucionalista deflagrada em julho em São Paulo, e foi proclamado pelos revolucionários, governador militar de Mato Grosso, exercendo a função por 82 dias durante o conflito no “Estado de Maracaju”. Após a derrota do movimento em outubro de 1932, foi obrigado a passar cerca de seis meses exilado no Paraguai, onde se dedicou à medicina, chegando a instalar um consultório. Faleceu em Campo Grande, em 1965.


Wilson Barbosa MartinsWilson Barbosa Martins

Wilson Barbosa Martins: Nasceu em Campo Grande, em 1917. É advogado e foi senador da República (1987-1994), ex-deputado federal (1983-1989), foi prefeito de Campo Grande (1959-1963) e governador do Estado de Mato Grosso do Sul (1983-1986 e 1995-1998). Foi professor e um dos proprietários do Colégio Oswaldo Cruz. Casou-se com a escritora e artista plástica Nelly Martins, filha de Vespasiano Barbosa Martins. Estiveram juntos por quase 60 anos até a morte da esposa, em 2003.


Zeca do PT: José Orcírio Miranda dos Santos nasceu em Porto Murtinho, em 1950. Bancário, integrou o movimento nacional, que fundou o PT. Na mesma época, engajou-se na luta sindical e participou da criação da CUT (Central Única dos Trabalhadores). Participou ativamente do “Movimento Diretas-Já”, que mobilizou o País pela eleição direta para presidente da República.


É atualmente deputado federal (2014), sendo ex-vereador de Campo Grande (2014-2014), ex-deputado estadual (1990 - 1998) e ex-governador do estado de Mato Grosso do Sul por dois mandatos (1998 - 2006).


José Octávio Guizzo: Nasceu em Campo Grande (1938-1989) e era filho de imigrantes italianos. Aos 15 anos, assumiu o posto de locutor em rádio da Capital. Autor de várias músicas, chegou a conquistar o primeiro lugar em festival de música da cidade. Apaixonado por cinema, fez trabalhos registrando o assunto, sempre se preocupando com o resgate da memória das artes na cidade. Atualmente, um centro cultural localizado na Rua 26 de Agosto leva o nome dele.


Matéria copiada integralmente (texto e fotos do Midiamax)




 

Midiamax / Camapuã News

Opiniões

0 Comentários para "40 personalidades que fizeram história no Estado de MS"

Deixe sua opinião

AVISO: As opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site camapuanews. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros, ficando seus autores, após identificado o IP, responsáveis civil e penalmente por seus conteúdos.
Nome
E-mail (Não divulgado)
Mensagem
     
+Leia mais notícias

  Marido flagra mulher dançando com outro e tenta matá-lo

  Mãe deixa bebê sozinho em casa para ir beber em bar

  Jovem tenta vender videogame furtado para dono

+Notícias mais lidas da semana

Bebê de 5 meses é abandonado pela mãe em bar
Criança foi levada à delegacia, onde foi resgatada pelos avós.
Costureira de 67 anos relata angústia ao descobrir HIV
Incidência do vírus da Aids entre idosos aumentou 60% no Estado de São Paulo.
CG: Atirador em carro branco executa motociclista
Vítima é um homem que ainda não foi identificado pela Polícia Civil.
Veículo capota no Anel Viário em Campo Grande
Vítima precisou ser socorrida pelo Corpo de Bombeiros.
Publicidade


2009 © Todos os direitos reservados ao Camapuã News. Este material pode
ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído, desde que citada a fonte.
Marknet®