FECHAR
> Educação / Professores

Publicado em: 13/01/2017 - 21:19:16

Municípios de MS pagam professores abaixo do piso

Dos 79 municípios de Mato Grosso do Sul, 52 pagam o piso nacional para os professores que tem magistério e 21 não pagam, sendo que outros oito não têm professores classificados nesta categoria, de acordo com levantamento feito pela Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul). O Governo Federal reajustou nesta semana o referencial, que deve ser aplicado em todo o Brasil.


Segundo Roberto Botareli, presidente da Fetems, a Lei Nacional nº 11.738 determina o pagamento do piso para carga horária de até 40 horas semanais. O levantamento é de outubro de 2016 e apenas em abril próximo será divulgado com dados atualizados.


Na quinta-feira (12) o Governo Federal anunciou o reajuste de 7,64% para os professores do magistério que trabalham 40 horas por semana, fixando em R$ 2.298. A Fetems ressalta que a lei federal determina o piso para quem trabalha até 40h e que a Lei Estadual nº 200, de 13 de julho de 2015, determina o piso para os docentes que trabalham 20h por semana.


"O nosso salário é uma conquista. Nossos professores ganham mais do que o piso nacional determina e ainda adequamos para 20h. Uma vez que nosso concurso é para 20h entendemos que o piso tem que ser cumprido para essa carga horária", explicou.


De acordo com o ranking, 42 cidades pagam o piso nacional e deram o reajuste de 2016, outros 5 municípios cumprem o piso nacional, mas não deram o reajuste anual de 2016, sendo: Campo Grande, Mundo Novo, Nova Alvorada do Sul, Figueirão e Sidrolândia.


O presidente da federação diz que as prefeituras que não pagam o piso já foram acionadas na Justiça. Entre as cidades que não cumprem o piso estão Ponta Porã, Dourados, Miranda e Bodoquena (veja a relação completa no fim deste texo).


Miranda - a 201 km de Campo Grande - é a cidade com o salário mais baixo para os professores. No município quem cumpre 40h semanais ganha R$ 1.697,00, conforme o levantamento de outubro de 2016. "Como o Governo Federal coloca o piso para 40h, mas a lei não tem essa determinação, nós divulgamos o ranking com base nessa carga horária. É só pegar o salário de 20h e dobrar", relatou Roberto.


Na lista ainda consta 8 cidades que não tem professores qualificados com o magistério e apenas o nível superior, por isso não entram na contabilidade. As cidades são: Jateí, Iguatemi, Ladário, Glória de Dourados, Santa Rita do Pardo, Nova Andradina, Paraíso das Águas e Caracol.


"Umas pagam mais e outras não, mas como é outra categoria não colocamos os valores", disse Roberto.


Capital - O presidente da ACP (Sindicato Campo-grandense dos Profissionais da Educação Pública), Lucílio Nobre, disse que mesmo sem efetuar o reajuste em 2015 e aumentar apenas 3,31% em 2016, a Prefeitura de Campo Grande ainda paga mais que o piso salarial dos professores.


"Segunda-feira vamos conversar com prefeito Marquinhos para saber como ele vai fazer a correção do acumulo mais os 7,64% desde ano. São 13,01% de 2015, 8,05% que ficou de 2016 e mais 2017, tudo somado chega a 28,7%", afirmou.


Os professores em início de carreira que trabalham 20h semanais pela Semed (Secretaria Municipal de Educação), ganham R$ 1.753,55 e os que trabalham 40h ganham R$ 3.507,11, conforme a tabela divulgada pela ACP.


Ranking salarial de Mato Grosso do Sul
1. Municípios que não aplicam ¹/₃ de horas-atividades.
2. Situação salarial de 2015, sem reajuste de 2016.
































































































































































































































































































































































































































MUNICÍPIO



CARGA HORÁRIA



PISO SALARIAL (R$)



Campo Grande²



40



3394,74



Corumbá



40



3196,76



Fátima do Sul



44



3151,76



Rede Estadual



40



2760,10



Naviraí



40



2717,35



Três Lagoas



40



2666,84



Paranaíba



40



2605,48



Água Clara



40



2538,05



Ribas do Rio Pardo



40



2514,72



Bataguassu



44



2509,99



Nova Alvorada do Sul



40



2496,92



Mundo Novo²



40



2492,10



Itaporã



40



2454,88



Batayporã²



40



2406,90



Caarapó



40



2404,76



Rio Brilhante



40



2370,60



Ivinhema



40



2370,60



Chapadão do Sul



40



2361,34



Novo Horizonte do Sul²



40



2351,42



Paranhos



40



2347,60



Anastácio



40



2347,22



Maracajú



40



2306,92



Anaurilândia



40



2242,46



Costa Rica¹



40



2234,37



Amambaí



40



2232,38



Selvíria



40



2214,74



Aparecida do Taboado



40



2211,38



Bonito



44



2176,41



Japorã



40



2167,96



Coxim



40



2146,32



Figueirão²



40



2146,26



Sidrolândia¹²



44



2141,88



Laguna Carapã



40



2139,76



Aquidauana



40



2138,64



Pedro Gomes



40



2136,10



Bela Vista



40



2136,08



Jardim



40



2135,98



Cassilândia



40



2135,64



Dois Irmãos do Buriti



40



2135,64



Camapuã



40



2135,64



Porto Murtinho



40



2135,64



Rio Verde de MT



40



2135,64



Alcinópolis



40



2135,64



Terenos¹



40



2135,64



Itaquiraí



40



2135,64



Vicentina



40



2135,64



São Gabriel do Oeste



40



2135,64



Inocência



40



2135,64



Coronel Sapucaia



40



2135,64



Brasilândia



40



2135,64



Rio Negro



40



2135,64



Municípios que não pagam o piso nacional vigente:



 



 



Rochedo



40



2132,76



Arai Moreira



40



2128,49



Eldorado



40



2099,27



Juti



40



2082,20



Douradina



40



2081,24



Bandeirantes



40



1985,50



Antônio João



40



1920,00



Sonora



40



1919,32



Nioaque



40



1919,08



Jaraguari



40



1919,00



Bodoquena



40



1918,80



Taquarussu



40



1918,48



Tacuru



40



1918,30



Ponta Porã



40



1918,20



Deodápolis



40



1917,78



Sete Quedas



40



1917,78



Dourados



40



1917,78



Corguinho



40



1917,78



Guia Lopes da Laguna



40



1834,88



Miranda



40



1697,40



Angélica



40



Sem informação



Jateí



40



 



Iguatemi



40



 



Ladário



40



 



Glória de Dourados¹



40



 



Santa Rita do Pardo¹



40



 



Nova Andradina¹



40



 



Paraíso das Águas



40



 



Caracol¹



40



 



Foto: Alcides Neto




 

Campo Grande News / Camapuã News

Opiniões

0 Comentários para "Municípios de MS pagam professores abaixo do piso"

Deixe sua opinião

AVISO: As opiniões são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do site camapuanews. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros, ficando seus autores, após identificado o IP, responsáveis civil e penalmente por seus conteúdos.
Nome
E-mail (Não divulgado)
Mensagem
     
+Leia mais notícias

  Bela Vista comemora hoje 110 anos de fundação

  CR7 deixa gorjeta de R$ 90 mil em hotel na Grécia

  Em 1ª aparição pós-Copa, Neymar vê exagero em críticas

+Notícias mais lidas da semana

CAMAPUÃ NEWS posta enquete sobre atuação dos vereadores
É importante que os internautas votem e comentem na enquete
Viatura da polícia capota após ser fechada na BR-163
Foi entre Juti e Naviraí, após ser ‘fechada’ por um caminhoneiro na estrada.
Hilux bate em caminhão pipa e motorista morre
Foi na MS-276, em Nova Andradina. Passageiro sofreu fraturas.
Casal do Espírito Santo morre em acidente na BR-060
Filha do casal fraturou a perna e teve afundamento de crânio
Publicidade


2009 © Todos os direitos reservados ao Camapuã News. Este material pode
ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído, desde que citada a fonte.
Marknet®